Pós-Graduação em Acupuntura

O mais completo do Brasil

Imprensa

Quarta-feira, 11 de Novembro de 2020 - 10:48

Utilização da Acupuntura para Redução do Ácido Úrico Circulante e Prevenção de Crises Agudas e Gota: Estudo de caso

Baseado no TCC para conclusão do curso de pós graduação em acupuntura do CETN BAURU da aluna CRISTIANE DE ALMEIDA AMABILINI.

O ácido úrico é uma substância presente no sangue que é naturalmente produzida pelo organismo. As purinas ingeridas são convertidas em ácido úrico no Intestino Delgado e no Fígado, e excretadas via urina. Níveis normais de ácido úrico circulante (ou urato de sódio), segundo a medicina ocidental, são resultado do equilíbrio entre a produção endógena de purinas, a ingesta e a excreção urinária. O ácido úrico circulante (AUC) mantém seus níveis fisiológicos (uricemia) em concentrações próximas à 6,0 mg/dl. A alta concentração, próxima a 6,8 mg/dl, caracteriza-se por um quadro de Hiperuricemia, que pode ser causada por uma produção excessiva de ácido úrico, uma diminuição da sua excreção ou uma combinação de ambos. Também pode ser gerada ou acelerada em casos de doença renal crônica, quando há uso de medicamentos diuréticos. Fatores relacionados ao estilo de vida também têm uma influência importante no aumento do ácido úrico circulante, como obesidade, ingesta aumentada de carnes vermelhas, peixes e crustáceos, gordura saturada, frutose e aumento da ingesta de bebidas alcoólicas. A incidência da Hiperuricemia tem aumentado nas últimas décadas; estima-se que acometa cerca de 20% da população adulta. É o principal fator de risco para o desenvolvimento da artrite gotosa, que ocorre em cerca de 10% dos pacientes com hiperuricemia.

A Medicina Tradicional Chinesa (MTC) tem uma visão bastante diferenciada da visão ocidental, em relação às funções dos órgãos e aos desequilíbrios que causam as doenças. Na visão da MTC, os dois principais Órgãos envolvidos no distúrbio em questão, a hiperuricemia, são o Baço e o Rim. As principais funções energéticas do Baço são a formação do Qi Nutritivo (energia extraída dos alimentos e que participa da formação do Sangue), e a transformação e o transporte da energia e dos fluidos. O Rim é a sede do Yin e Yang do organismo; o Yang do Rim é a força motriz de todos os processos fisiológicos. O Rim governa a Água: o Qi do Rim mobiliza os líquidos tanto para a parte alta do corpo quanto para a Bexiga armazenar e transformar a urina. O Baço e o Rim se auxiliam mutuamente nas funções de transformar e transportar os Fluidos Corpóreos. O Yang do Rim provê o calor necessário ao Baço para transformar e transportar, e o Qi do Baço auxilia o Rim na transformação e excreção dos fluidos.  O distúrbio metabólico de excesso de ácido úrico circulante evidencia uma deficiência na função de transporte do Baço e na função de excreção do Rim.

Na maioria dos casos, a Hiperuricemia é assintomática, mas 10% dos pacientes desenvolvem a Gota, doença caracterizada pelo acúmulo de cristais de urato monossódico em articulações, tecido sinovial, ossos e pele. É uma das mais dolorosas formas de artrite, de início geralmente abrupto, com dor de grande intensidade. Se não tratada pode se tornar crônica e se acumular nos tecidos articulares em forma de “tofos”, coleções macroscópicas de cristais de urato, que causam maior dano estrutural e podem ocasionar até perda da função articular. Diversos estudos mostram ainda evidências da associação da hiperuricemia a outros desequilíbrios, como doenças cardiovasculares, hipertensão e doenças renais, embora a relação causal entre o aumento do AUC e essas condições clínicas seja ainda controversa. Atualmente, o tratamento ocidental da artrite gotosa é medicamentoso, quando há crises recorrentes de gota. É feito com anti-inflamatórios não esteroides, colchicina (alcaloide) e alopurinol (redutor de uratos), que podem causar diversos efeitos colaterais como intolerâncias gastrointestinais, perfurações gástricas, náuseas, erupções cutâneas e em pacientes com problemas renais e cardiovasculares, a administração dessas drogas deve ser bem avaliada, pois os efeitos colaterais podem ser bem mais graves. Um tratamento não farmacológico, principalmente em pacientes com hiperuricemia assintomática, ou que não apresentem crises frequentes de gota, tem um papel de grande importância na prevenção de nova crises. Mudanças no estilo de vida, como redução da massa corporal, redução do consumo de bebidas alcoólicas (cerveja e destilados), redução do consumo de alimentos ricos em purinas e frutose, são importantes e contribuem para a redução do ácido úrico, mas são de difícil adesão por parte dos pacientes. Neste contexto, alguns estudos mostram evidências de que a acupuntura pode contribuir significativamente para a redução do ácido úrico circulante no sangue, e pode ser até mais eficaz do que o tratamento medicamentoso ocidental.  A Acupuntura é uma das modalidades da MTC. Através da estimulação de pontos específicos, ocorre no organismo a mobilização de substâncias, que promovem a harmonização de funções, a interrupção e a prevenção de processos patológicos.

Este estudo foi realizado em um paciente de 42 anos de idade, do sexo masculino. Foram realizados avaliação inicial e diagnóstico energético, levando-se em consideração os Oito Critérios preconizados pela MTC. O paciente realizou um exame de sangue inicial, no início do mês de abril, para verificação da concentração de ácido úrico sérico, cujo resultado foi de 10,2 mg/dl. O tratamento foi realizado durante 7 meses (de abril a novembro de 2018), utilizando-se agulhas para estimulação dos pontos selecionados, totalizando 18 sessões de acupuntura. A técnica escolhida foi direcionada pelos Diagnósticos Energético e ocidental. Foram utilizados Pontos Fonte e de Ação Energética dos Meridianos de Baço e Rim, principalmente.  Durante o tratamento o paciente não modificou seus hábitos alimentares e de consumo de bebidas alcoólicas. Apresentava eventuais crises de gota (geralmente sente no tornozelo, uma vez por ano, mais ou menos).

A avaliação energética revela sinais e sintomas que caracterizam as síndromes de Deficiência do Yang do Rim e Deficiência do Qi do Baço, levando a uma estagnação de Qi, Xue e fleuma nas articulações das extremidades. A técnica utilizada para o tratamento foi a associação de Pontos Fonte e Pontos de Ação Energética, para tonificar e equilibrar as funções dos Órgãos Baço/Pâncreas e Rim, mover o Qi, regular e nutrir o Xue. Pontos Fonte: BP3 e R3 Pontos de Ação Energética: R7, BP6, BP10 e TA6.

As primeiras sete sessões foram realizadas em intervalos de 3 a 4 dias. Depois, quatro sessões uma vez por semana, e o restante das sessões com intervalos de tempo maiores, de acordo com a disponibilidade do paciente, que passou a viajar à trabalho com muita frequência.

Os resultados esperados eram redução da concentração de ácido úrico circulante a um nível mais próximo do fisiológico, que é de 6,0 mg/dl e prevenção de novas crises agudas de gota. Durante o tratamento o paciente não apresentou crises agudas de gota, nem dor nas articulações, apesar do alto consumo de purinas na dieta. O exame de sangue após o tratamento com acupuntura revelou uma redução significativa na concentração de ácido úrico circulante. Antes do tratamento a concentração era de 10,2 mg/dL e após o tratamento, 4,9 mg/dL.

Os resultados obtidos após o tratamento apenas com acupuntura, sem nenhuma restrição alimentar, sugerem que o tratamento com acupuntura foi eficaz para redução dos níveis de ácido úrico circulante na corrente sanguínea e prevenção de novas crises agudas de gota para este paciente.

AUTORA DO ARTIGO: Carla Ceppo

Deixe seu Recado
Receba Informações