Pós-Graduação em Acupuntura

O mais completo do Brasil

Imprensa

Terça-feira, 13 de Abril de 2021 - 11:23

Tratamento de Síndrome Bi Utilizando Pontos de Ação Energética, Pontos Extras, Moxabustão e Auriculoterapia Chinesa

Baseado no TCC da aluna: Diane Augusta Bergamini

Introdução:

A hiperuricemia, também conhecida popularmente como gota, é uma doença que tem aumentado na população atual devido à hábitos de vida, como má alimentação, sedentarismo, abuso do álcool, entre outras etiopatogenias. A gota tem diferentes formas clínicas, sendo causada por depósito de cristais de urato de sódio monoidratado no espaço extracelular de diversos sistemas e órgãos. (GUIMARÃES; 2017) É uma doença muito antiga, sendo conhecida há mais de 4.500 anos. As primeiras descrições referentes a essa doença são de Hipócrates, que a denominou de gota, termo que vem do latim "gutta" devido às gotas de líquido que surgiam na articulação do hálux, na maioria dos pacientes. Na Grécia Antiga, a gota era conhecida como “a doença dos reis", em razão da forte associação do consumo de alimentos finos e de álcool etílico. (COSTA; DA SILVA; 2019)

A etiopatogenia da gota decorre de fatores como idade, sexo masculino, menopausa em mulheres, hiperuricemia, obesidade, ingestão de alimentos ricos em proteínas de origem animal, diabetes, ingestão alcoólica (particularmente cerveja, que confere maior risco que bebidas destiladas, enquanto ingestão moderada de vinho parece não aumentar o risco de gota), medicamentos (diuréticos, particularmente tiazídicos, pirazinamida, etambutol, ciclosporina, tacrolimus, e insulina em altas doses aumentam as taxas de ácido úrico sérico (AUS e doenças associadas (comorbidades), como síndrome metabólica, obesidade, hipertensão arterial, insuficiência renal, cálculos renais, diabetes tipo 2 e doenças cardiovasculares. (BATISTA; WIBELINGER; 2011)

Para a Medicina Tradicional Chinesa, a Artrite Gotosa é uma doença que se encaixa entre as Síndromes Obstrutivas Dolorosas. Essas síndromes, também conhecidas por Síndromes Bi, são causadas por invasão de fatores externos e acomete apenas canais, não atingindo órgãos ou vísceras (Zang Fu). Segundo Macioca (2007), “a invasão dos fatores climáticos externos ocorre devido a uma deficiência preexistente e temporária de Qi e do Sangue do corpo, que permite com que o Vento, o Frio e a Umidade penetrem.” Isso significa que quando um desses fatores externos invadem o corpo, obstruem os meridianos, fazendo com que Qi e Xue não possam circular e com o tempo, por uma estagnação ou deficiência de um ou ambos, irão causar as Síndromes Bi.

Segundo Maciocia (2006), o tratamento para Síndromes Bi consiste em expelir os fatores patogênicos e eliminar a estagnação de Qi e Xue nos meridianos. Se tratando de Síndrome Obstrutiva Dolorosa do Tipo Óssea, por ter também órgãos afetados, é importante definir um tratamento para nutrir o Xue, o Fígado e os Rins e eliminar a mucosidade.

Objetivo Geral:

Esse estudo de caso teve como objetivo estabelecer um protocolo de tratamento para melhorar as dores articulares, evitar as crises agudas e devolver a sensibilidade das articulações falangeanas ao paciente portador de Síndrome Bi Óssea.

Sabe-se que para cada indivíduo, o tratamento deve ser diferenciado, pois a técnica de pontos escolhidas vai depender de um bom diagnóstico energético.

O objetivo inicial era que após as 10 sessões de acupuntura, o referido paciente apresentasse melhora nos quadros agudos e qualidade de vida.

Para se ter como base o nível de dor inicial do paciente, foi utilizada a Escala Qualitativa.

Metodologia:

Para tratamento desse paciente, foi utilizado os Métodos de Pontos com Ação Energética: F3/ R3/ VB39/ BP6

Pontos Extras: Yintang e Baxie

Moxabustão: nos pontos Baxie por 3 minutos em cada ponto

Auriculoterapia Chinesa: Shen Men/ Fígado/ Baço/ Coração/ Dedos das mãos/ Dedos dos pés/ SNV

Foram realizadas 10 sessões de acupuntura, com a frequência de 1 vez por semana. As sessões tiveram duração de 1 (uma) hora. O material utilizado para as sessões foram:

  • Agulhas DUX 0,25 x 0,30
  • Álcool 70% para assepsia do local de punção
  • Algodão
  • Bastão de Incenso de Artemísia
  • Cristais não radiônicos para auriculoterapia
  • Micropore para cobrir os pontos da auriculoterapia

Resultados:

Na primeira sessão de acupuntura, após a avaliação, foi questionado ao paciente o grau de dor, baseado na Escala Qualitativa da Dor disponível no site https://www.dor.com.pt/static-page/avaliacao (GRÜNENTHAL). No dia 02/11/2019, data do primeiro atendimento, paciente relatou Dor Intensa nas articulações dos dedos das mãos, com inchaço e vermelhidão local. Iniciamos o tratamento e em todas as sessões foram avaliados o nível de dor, língua e pulso.

No dia 30/11/2019, no atendimento da 5ª sessão, paciente continuava apresentando crises e dores, necessitando fazer uso de medicamentos anti-inflamatórios. Paciente relatou melhora no sono, acordando apenas uma vez à noite para ir ao banheiro. A língua estava um pouco cianótica, com saburra branca fina e trêmula, porém o desvio diminuiu. O pulso esquerdo estava cheio e lento em profundidade e o pulso direito, na segunda posição estava cheio, lento e rápido e o restante das posições estava profundo e fraco. Paciente continua ingerindo bebidas alcoólicas. Na avaliação da dor, paciente relatou nível de Dor Ligeira nesse dia, porém havia tomada anti-inflamatório e analgésico no dia anterior à sessão.

A última sessão de acupuntura foi realizada no dia 04/01/2019. Paciente não apresentou mudanças no quadro de sensibilidade e formigamento, tendo ainda crises constantes. Os tofos gotosos não diminuíram. Paciente relatou que o sono voltou a ser “picado”, acordando várias vezes durante a noite. Durante o período do tratamento, surgiram edemas na articulação dos dedos dos pés. Na escala de dor, considerou a dor nesse dia como Dor Moderada. Disse que ainda está ingerindo álcool com frequência, sem ter reduzido o consumo. A língua estava com saburra espessa e pegajosa amarelada e trêmula. O pulso direito estava cheio e lento na profundidade e o pulso esquerdo estava mais rápido, superficial e cheio.

Discussão:

O tratamento foi realizado mantendo o protocolo durante as 10 sessões, sendo feito uma vez por semana, respeitando os mesmos dias. Apesar das orientações ao paciente de mudanças de hábitos, tais como, diminuir a ingestão de alimentos com alto nível proteico, como carnes vermelhas, peixes, feijão e queijos amarelos e evitar a ingestão de bebidas alcoólicas, principalmente a cerveja, por interferir na eliminação do ácido úrico do sangue (MELO, 2017), paciente continuou mantendo seus hábitos de vida. Também não houve mudanças em relação a prática de atividades físicas.

Um estudo realizado no hospital de Shengzhen Longgang, teve a participação de 80 pacientes com gota aguda diagnosticados entre os anos de 2014 a 2015. Esses pacientes foram divididos em grupo que recebeu tratamento com medicamento Indometacina 75mg duas vezes ao dia durante 10 dias, e outro grupo que recebeu tratamento somente com acupuntura sistêmica. Dentro do grupo de acupuntura sistêmica, os pontos para tratamento foram escolhidos de acordo com a localização no corpo da gota. Antes das sessões de tratamento, os pacientes de ambos os grupos foram solicitados a evitar alimentos que pudessem afetar os resultados, incluindo alimentos ricos em proteínas, gordurosos e condimentados. Os pacientes também foram aconselhados a ingerir mais proteína vegetal, frutas e beber mais água. Sendo assim, o resultado encontrado foi que a acupuntura produz resultados superiores ao o uso do medicamento indometacina para o tratamento de ataques agudos de gota. A indometacina é um AINE que reduz os níveis hormonais no corpo que são responsáveis ??pela inflamação. A acupuntura produziu uma taxa efetiva total de tratamento de 92,5% para o tratamento da gota aguda. Os comprimidos de indometacina atingiram uma taxa efetiva total de tratamento de 82,5%. (HEALTHYCARE MEDICINE INSTITUTE, 2017)

Em outro estudo realizado na China, em 2019, pesquisadores do Hospital Dongguan Tangxia Guanhua compararam a eficácia do tratamento com acupuntura e o tratamento com o medicamento Indometacina e observaram que a acupuntura produziu uma taxa efetiva total mais alta que a medicação, em relação aos sintomas encontrados durante as crises agudas. O estudo foi realizado com 92 pacientes, divididos em grupo acupuntura e grupo medicamento. Todos os pacientes receberam orientação padronizada sobre estilo de vida e dieta para ajudá-los a gerenciar sua condição. Isso incluiu a redução da ingestão alimentar de alimentos ricos em purinas, como carnes, vísceras e álcool. Os pacientes foram aconselhados a evitar estresse, exposição ao frio e excesso de trabalho. Todos os pacientes foram aconselhados a aumentar o consumo de água. As melhorias nos sintomas clínicos foram significativamente maiores no grupo de acupuntura (p <0,05) e a taxa efetiva total no grupo de acupuntura foi de 86,96%, em comparação com 69,57% no grupo de drogas. A acupuntura também causou menos reações adversas, com uma incidência de apenas 2,17% em comparação com 23,91% no grupo de medicamentos. (ZHENFENG, 2019) 

Conclusão:

No presente trabalho, foi concluído que o tratamento utilizando Pontos com Ação Energética, Pontos Extras com Moxabustão e Auriculoterapia Chinesa não foram efetivos na diminuição das crises agudas do paciente e não houve reversão do quadro de falta de sensibilidade motora e formigamento nas mãos.

Sabendo que a acupuntura é apenas uma parte do tratamento das doenças, e juntamente com a mudança de hábitos de vida, como a moderação na ingestão de alimentos já citados e a não ingestão de bebidas alcóolicas, seria possível reduzir os quadros de crises e devolver aos poucos a sensibilidade das mãos ao paciente, melhorando a qualidade de vida do mesmo.

Não dá para se afirmar, mas pode ser que a ingestão de bebidas alcoólicas pelo paciente, pode ter comprometido os resultados finais esperados do tratamento.

Autora do artigo: Profa. Ma. Luciana Mendes Vinagre

Deixe seu Recado
Receba Informações