Pós-Graduação em Acupuntura

O mais completo do Brasil

Imprensa

Terça-feira, 20 de Agosto de 2019 - 10:15

Técnicas da Medicina Tradicional Chinesa no Tratamento da Síndrome de Tourette

Artigo baseado no TCC da aluna: Ana Lucia Pires

A Síndrome de Tourette constitui patologia classificada na medicina ocidental como disfunção genética, cuja natureza é considerada como neuropsicológica e crônica que provoca diversos sintomas normalmente classificados como tiques

Os tiques são padrões comportamentais de emissão involuntária, a ST abrange tiques fônicos, pigarros, tosse, transtornos comportamentais, movimentos de membros, piscadelas, etc. 

Os tratamentos administrados pela medicina ocidental se dão através de psicotrópicos e ansiolíticos que atuam no sistema nervoso central e por vezes causam efeitos colaterais indesejáveis. 

Já a medicina tradicional chinesa classifica a ST como Deficiência do Jing de Rins, com Deficiência de QI e yin do Fígado, ocasionando o calor interno e secura dos Líquidos Corpóreos (JinYe), de forma que restam impossibilitados os tendões e músculos de serem nutridos.  

O tratamento tradicional da medicina chinesa é recurso interessante para o tratamento desta patologia, já que se busca o equilíbrio biopsíquico do paciente.  

Salienta-se ainda que, o foco no ramo da ciência milenar, isto é, acupuntura, pode ocasionar mudanças neuroquímicas no sistema límbico, bem como na modulação cerebral. 

Ocorre que esta modalidade de tratamento - acupuntura - consiste em método invasivo, que, por vezes, pode ocasionar desconforto nos pacientes acometidos pela ST devido a sua idade precoce (crianças e jovens adolescentes). 

O que se propõe com o presente trabalho é o uso do protocolo da medicina tradicional chinesa. Contudo, utilizando-se de técnica não invasiva. 

A técnica proposta será efetivamente realizada através das pastilhas de Quartzo de Silício, conhecido como STIPERS, sendo estes fixados em acupontos pré-estabelecidos com auxílio de micropore, de forma a satisfazer seu propósito e evitar maiores inquietações de técnicas invasivas nos pacientes infantis, como será nosso caso a ser estudado adiante.  

Com o intuito da busca de melhores condições de inserção social e qualidade de vida, este tema pode revolucionar o tratamento da Síndrome de Tourette - ST, visando tratamento efetivo desta patologia e, principalmente, observando o nível etário que é atingido, melhorando o desenvolvimento pessoal por toda a existência dos referidos portadores da ST. 

O desenvolvimento do tema e sua aplicação visam restaurar o status de normalidade aos pacientes, assim como o equilíbrio do organismo através do protocolo estudado pautado na medicina tradicional chinesa e sua aplicação não invasiva devido ao uso dos STIPERS.

 SÍNDROME DE TOURETTE NA VISÃO OCIDENTAL:

Patologia de origem desconhecida onde ocorre a presença de múltiplos tiques motores e um ou mais tiques vocais, em algum momento durante a doença, embora não necessariamente ao mesmo tempo (um tique é um movimento ou vocalização súbita, rápida, recorrente, não rítmica e estereotipada). Ocorrência de tiques muitas vezes ao dia (geralmente em ataques), quase todos os dias ou intermitentemente durante um período de mais de um ano, sendo que durante este período jamais houve uma fase livre de tiques superior a três meses consecutivos., gerando um acentuado sofrimento ou prejuízo significativo no funcionamento social, ocupacional ou em outras áreas importantes da vida do indivíduo, ocasionados pelo transtorno.  Tem seu início antes dos 18 anos de idade. 

SÍNDROME DE TOURETTE NA VISÃO ORIENTAL:

De acordo com MACIOCIA (2007) e AUTEROCHE (1992) a tradição da medicina chinesa entende que o reconhecimento energético da Sindrome de Tourette (ST) está relacionado a carência do Jing dos rins, com a carência do QI e Yin do fígado que provoca calor e secura dos líquidos corpóreos (JinYe), bloqueando a nutrição dos tendões e músculos.  

 De acordo com VECTORE (2005) a acupuntura para o tratamento desses pacientes com ST é favorável porque busca o equilíbrio biopsíquico gerando mudanças neuroquímicas no sistema límbico, favorecendo a modulação cerebral.  

 Explicado como energia vital ou Qi, corre todo o corpo por dentro de canais de energias chamados meridianos, localizado sob a pele que irrigam órgãos e vísceras. Requena, Yves.  

 A ST de acordo com a medicina ocidental é uma desordem genética neuropsicológica e crônica, de natureza cerebral, ocasionando abundantes sintomas.  

 Nos pacientes com ST, AUTEROCHE (1992) o Jing hereditário (energia vital) é fragilizado que reincidi no fígado, que de acordo com a medicina tradicional chinesa é aquele que regula, conserva e aplaina o sangue, e que comanda os tendões.  

 Essa debilidade na ST que consiste em tiques motores, vocais e emoções alteradas, está associada a uma energia com certa malignidade como calor excessivo ou obstrução do QI do fígado que ataca os líquidos corpóreos e o sangue, ocorrendo a deficiência na nutrição dos tendões, ocasionando os tiques, que na medicina tradicional chinesa está relacionado ao excesso de vento interno. O que se pode dizer é que com a modificação de alguma função energética, leva a alteração de todas as outras. 

Na ST o paciente deve ter acompanhamento de sua família que é fundamental para o tratamento, como também a sua inclusão em grupos sociais de atividades que liberte sua mente, e tenha contato com a natureza apaziguando sua ansiedade gerada pelo desconforto físico e emocional da mesma.  

A terapia tende a estabilizar o fluxo vital no organismo por isso foi levantado a hipótese de que a acupuntura é uma forma de tratamento alternativo pois ela reorganiza a fonte de energia vital no paciente com ST.  

Sendo assim em concordância com a Organização Mundial da Saúde (OMS) reconheceu em 1997 que a acupuntura é um tratamento eficaz para o tratamento da ST por agir nos neurotransmissores relacionados a ansiedade, dor e depressão, como também nos neurotransmissores motores, sendo assim confirmada sua ação como positiva.

VASOS MARAVILHOSOS:

Sua principal função é de reforçar as ligações entre os meridianos regulares, a fim de regularizar o Qi e o sangue. O excesso destes nos doze meridianos principais se escoa e se concentra nos oito meridianos extraordinários, onde é guardado como reserva para ser distribuído quando há insuficiência de Qi e de sangue nos Jing Mai (Meridianos principais). 

Cada um dos meridianos extraordinários (ou ainda "Vasos Maravilhosos") possui um ponto de comando situado num meridiano principal, da mesma forma que os outros pontos. Com exceção de Ren Mai e Du Mai, os meridianos extraordinários não possuem pontos próprios, sendo seus trajetos constituídos por pontos dos meridianos principais. 

Os quatro Vasos Yang atuam sobre as doenças externas e os quatro Vasos Yin sobre as doenças internas. Os pontos de comando destes Vasos servem para abrir um tratamento, conforme sua sintomatologia: 

 - Du Mai - "Vaso Governador" (ID3) - Chamado de "Mar dos Canais Yang", exerce grande influência sobre todos os Canais Yang, podendo ser utilizado para tonificar o Yang do corpo, do Rim e do Coração em particular, assim como controlar a hiperatividade do Yang, nutrir a coluna, o cérebro e a mente, expelir vento externo, dominar Vento interior, mover estagnação de Qi na região das costas, pescoço e cabeça, dentre outras funções.  

 - Yang Qiao Mai - (B62) - Extensão do canal da Bexiga. Influencia a parte lateral das pernas, e assim como o Yin Qiao Mai, flui em ascendência para os olhos, geralmente usado em combinação com este Canal para equilibrar os aspectos do sono. Pode ser usado para expelir Vento exterior (Vento-Frio ou Vento-Calor), dominar o Yang na cabeça, Vento interno da cabeça, circular o Qi no Canal da Bexiga em caso de dores nas costas, quadril e pernas. 

- Yang Wei Mai - (TA5) - Faz a conexão entre todos os Canais Yang, regula a parte lateral do corpo: pernas, tronco, pescoço, cabeça e ouvidos, podendo ser usado para dores nestas regiões e patologias auditivas, assim como é indicado em casos de Vento Calor e Hiperatividade do Yang do Fígado. 

- Dai Mai - (VB41) - Este é o único Vaso horizontal do corpo, possui forte relação com o Fígado e Vesícula Biliar, podendo ser usado para harmonizar estes órgãos, dispersar Fogo do Fígado, acalmar a hiperatividade do Yang do Fígado, dispersar Calor-Umidade dos órgãos genitais, tonificar os Canais do Estômago e Baço, além de ser usado em dores do quadril, dada sua localização.

- Yin Wei Mai - (CS6) - Faz a conexão entre todos os Canais Yin do corpo, tonifica o Yin e o Coração, equilibra a relação do Coração com o Rim, possuindo efeito tranquilizador sobre a mente. Indicado para Deficiência de Yin e Xue (Sangue), move o Qi e o Xue na garganta, tórax e epigástrio. 

- Chong Mai - (BP4) - Este vaso tem sua origem no Rim e possui conexão com o Estômago e Baço, fazendo a ligação entre o Qi Pré-Celestial e o Qi PósCelestial, dentre suas principais funções estão: mover a estagnação do Qi e do Sangue, nutrir o Sangue, regularizar útero e menstruação, movimentar o Sangue do Coração, acalmar as emoções. 

- Ren Mai - "Vaso da Concepção" – (P7) Devido à sua influência em todos os Canais Yin do organismo, é chamado "Mar dos Canais Yin", nutre o Yin Qi, regulariza as funções reprodutivas, especialmente nas mulheres, podendo ser utilizado para regularizar a menstruação, fertilidade, gestação, parto e menopausa. Equilibra as emoções, move a estagnação do Qi na parte inferior do abdome, útero, mamas, Coração e Pulmão, além de remover a Umidade no Jiao Inferior. 

- Yin Qiao Mai - (R6) Este Canal é uma extensão do Canal do Rim. Como seu trajeto ascende para os olhos, exercem nestes grandes influências, sendo indicados para regular o sono, seja em caso de insônia ou sonolência. Regulam a parte interior das pernas, abdome e útero. Usados juntamente com o Yang Qiao Mai pode equilibrar os lados esquerdo e direito do corpo. 

Normalmente, os Canais Extraordinários são utilizados aos pares de acordo com pontos de abertura e fechamento, o que permite tratar de síndromes complexas com poucas agulhas e ótimos resultados. Os objetivos de todos os tratamentos pela acupuntura são simplicidade e harmonia, tratando com o mínimo de agulhas numa combinação equilibrada e de efeito sinérgico.

STIPER (Pastilhas de Quartzo de Silício) 

 Em 1994 cientistas perceberam que nossa pele tinha ressonância externa com o silício, e se tornaria assim um portal natural de entrada e saída das energias, em todas as terapias com base de silício. Mais de 3% de nossa constituição orgânica, tais como derme, epiderme, músculos, nervos, ossos e órgãos, é constituída por silício. Sendo assim, o Stiper, por ser 100% silício micronizado, não é uma substância desconhecida de nosso organismo, pois estamos em contato frequente com ela desde que nascemos (GARCIA & MAZZER, 2002) 

A pastilha de silício, conhecida também como STIPER (Stimulation and Permanency), é uma pastilha de quartzo micronizado de Oxido de Silício cujas microparticulas são organizadas em uma manta hipoalergênica, que possui 13 mm de diâmetro e três mm de espessura. Do ponto de vista energético, as pastilhas regulam a energia corporal, tonificando o  que esta deficiente e sedando o que esta em excesso. Do ponto de vista ocidental, as pastilhas são responsáveis pela melhora do metabolismo, relaxamento da musculatura, ativação da circulação sanguínea, aumento da imunidade, dentre outros. Tendo em vista que mais de 3% da constituição orgânica humana e formada por silício, a pastilha de silício e um material reconhecido pelo organismo e tem a função de ordenar as suas ondas e frequências (Burigo & Silvério Lopes, 2010). 

 Tem como efeitos biológicos:

- Melhorar o metabolismo; 

- Acelerar as reações enzimáticas; 

- Aumentar a produção de oxigênio ativo; 

- Fundamental para a fagocitose na luta contra infecções e eliminação de resíduos; 

- Incrementa a permeabilidade capilar ao aumentar o tamanho dos poros devido à vaso dilatação pelo aumento de temperatura;

- Produz vaso dilatação geral, local e profunda; 

- Produz relaxamento da musculatura lisa e estriada com a diminuição do tônus muscular (sedação). 

- Stiper aquece os meridianos, dispersa o frio, fortalecendo o Yang, mobiliza o Qi ativando a circulação do sangue e da linfa.

METODOLOGIA:

O presente trabalho se pautou no estudo de caso clínico de criança com 11 (onze) anos de idade, já em tratamento clínico pelo método ocidental químico. 

 É administrada a medicação Risperidona 01mg (0-0-1); Luvox 50mg (1-0-0) e Atensina 0100mg (¼ - ¼ - ¼ - ¼), com início de sintomas desde os 07 (sete) anos de idade e de tratamento há aproximadamente 1/5 (um ano e meio), com histórico de majoração de doses para controle da Síndrome de Tourette (ST) da qual se pretende estudar e tratar.  

 O estudo de caso foi baseado na prática de protocolos de acupuntura não invasiva, vale dizer, sem uso de agulhas e demais técnicas da espécie. 

 Os protocolos foram desenvolvidos com o uso do material discriminado como STIPER, sendo estes pastilhas de Quartzo de Silício. 

 O procedimento terapêutico se deu através da fixação de micropore, quando a pele já higienizada através de álcool 70% (setenta por cento). 

 As pastilhas STIPER permaneceram nos acupontos pelo período de 05 (cinco) dias, sendo somente reaplicado no 7º (sétimo) dia. 

 O estudo de caso terapêutico complementar se deu por 10 (dez) sessões. 

 A técnica utilizada foi a dos "VASOS MARAVILHOSOS", sendo o ponto de abertura ID3 (DU MAI - Vaso Governador) lado esquerdo correspondente, agregando os pontos de ação energética IG11, CS7, VC14, VC4, BP6, R3, e ponto acoplado (fechamento) B62 (YANG QIAO MAI - Vaso YANG do Calcanhar), cruzando lado direito.

O intuito deste foi propiciar resultados eficientes a partir de técnica não invasiva, haja vista a idade média dos portadores da ST, visando melhor qualidade de vida a estes.   

RESULTADOS 

O paciente em que se deu o acompanhamento apresentou melhora significativa em todos os aspectos deficitários analisados, vale dizer que todos os fatores que, antes, mesmo sob administração medicamentosa convencional ocidental, persistiam, conforme listado a seguir: 

 - Quadro ansioso – o quadro ansioso esteve sob maior controle, vivendo um momento de cada vez, sem demasiadas expectativas que alterassem sua percepção do momento presente; 

 - Calor – devido à secura dos líquidos corpóreos, apresentava sinais de calor com sintomas de agitação, fezes ressecadas, dentre outros. Com a evolução do tratamento, a agitação mental, apesar da continuação medicamentosa foi controlada, a diminuição do calor interno foi alcançada; 

 - Sono – notou-se o sono mais calmo, gerando maior conforto ao dormir e disposição ao acordar; 

 - Trato Gastrointestinal - O intestino teve seu ciclo melhor desenvolvido, auxiliado à técnica utilizada e a ingestão de líquidos; 

 - Percebeu-se maior disposição para a prática de exercícios físicos e interação social; 

 - Os tiques, apesar da ingestão medicamentosa já existente, começaram a amenizar e apresentar maiores intervalos de tempo, não sendo notadas crises como antes da técnica utilizada, bem como estes se tornaram mais suaves. 

 CONCLUSÃO:

Nota-se com a explanação acima que se obteve melhora significativa no quadro clínico com a utilização da técnica e proposta terapêutica sob à luz da Medicina Tradicional Chinesa.  

 Autora do artigo Profa. Ma. Luciana Mendes Vinagre

Deixe seu Recado