Imprensa

Terça-feira, 17 de Outubro de 2017 - 10:01

O Uso de Acupuntura no Tratamento da Tireoidite de Hashimoto

Autor: José Ricardo Domingues

Autor do Artigo: Carla Ceppo

Na visão ocidental as tireoidites são classificadas como doenças inflamatórias, infecciosas ou autoimunes e são divididas em: aguda ou supurativa; subaguda dolorosa ou granulomatosa; subaguda indolor ou linfocítica e a linfocítica crônica ou Tireoidite de Hashimoto. Portanto a Tireoidite de Hashimoto é uma doença autoimune, caracterizada por uma inflamação crônica da tireoide com infiltração linfocitária.

Para a Medicina Tradicional Chinesa, a tireoidite, por ser caracterizada por uma inflamação, irá apresentar os sinais característicos como dor, tumor, rubor. O calor está intimamente relacionado com o elemento Fogo, significando que sua origem pode estar relacionada com uma insuficiência do Yin do Rim com prevalência do Yang do Rim.

A tireoide é considerada pela MTC uma concentração do Jing (energia ancestral) proveniente dos Rins. No Ling Shu, é dito que no processo de formação dessa glândula, se dá através do Jing vindo do Rim materno e, após o nascimento, mantido pelo Jing adquirido, ou seja, mantido pelo Gu Qi. “O Jing chega ao cérebro por duas vias; a interna e a externa dos Meridianos curiosos na tireoide” (Yamamura, 2015, pág. 761). Portanto, podemos considerar a tireoide como um Rim externo.

No caso da tireoidite de Hashimoto ocorre justamente um aumento do Yang do Rim devido a uma insuficiência do Yin do Rim. Essa desarmonia que ocorre entre o Yin e Yang é caracterizada como o Fogo que está em maior quantidade que o elemento Água.

Quando um paciente é tratado utilizando a MTC, o mais importante da prática está em identificar a causa dessa desarmonia. A MTC ressalta o equilíbrio como algo essencial para o estado de saúde, sendo esse equilíbrio relativo e individual para cada pessoa, enfatizando a saúde geral, desde a concepção até o estágio atual em que a pessoa vive.

Este artigo foi baseado em um estudo de caso, sobre uma paciente com 32 anos de idade, que aos 12 anos foi diagnosticada com Tireoidite de Hashimoto. De julho de 2014 a junho de 2015, a paciente submeteu-se ao tratamento com as técnicas de laser-acupuntura em pontos específicos, associados à auriculoterapia com sementes de mostarda. As principais queixas no início do tratamento foram dores nas pernas e articulações, dificuldade em ganhar peso, constipação, dores de cabeça, oscilação de humor e desânimo.  A paciente iniciou o tratamento com acupuntura tomando dosagem de levotiroxina sódica 112 mcg. Sabendo que ela tem 1,69 de altura e 46 kg, essa dosagem do medicamento foi considerada muito elevada, e sua própria médica endocrinologista, diagnosticou como uma tireoide não funcional, pois o funcionamento hormonal da glândula acontece unicamente pela medicação ingerida.

Inicialmente buscou-se eliminar e tratar as queixas, baseado no critério dos 8 princípios e após o restabelecimento do equilíbrio energético, que foi alcançado com sucesso, acompanhar e tratar a paciente, referente a Tireoidite de Hashimoto buscando diminuir a dosagem de Levotiroxina. Com o intuito de evitar quaisquer interferências, a paciente somente utilizou o medicamento Levotiroxina sódica fabricado por Abbott Laboratories, marca Syntroid ®. 

Após a utilização de conceitos específicos para o diagnostico energético, ficou estabelecido a seguinte proposta terapêutica, a ser aplicada nesta paciente:

Estímulo dos pontos: R3, R4, B22, B23, E9, E25, VG4, IG16, TA13, B39, com a técnica de laseracupuntura, com utilização do equipamento Therapy XT-e, fabricado pela DMC, potência útil do emissor 100 mW +/- 20%, comprimento de onda de 808 nm (Infravermelho), em meio ativo Ga Al As 650 nm (vermelho) meio ativo Al Ga In P, emissão simultânea, com aplicação de 3 Joules (J) por ponto.

 Auriculoterapia, aplicando sementes de mostarda nos pontos: ShenMen, Rim, Baço, Tireóide, San Jiao, TSH, Zona endócrina.

Após a primeira sessão a paciente já apresentou melhora com relação a dor latejante na perna, a sensação de peso e desconforto ao caminhar, cessando totalmente após a segunda sessão. Também a oscilação de humor, o desânimo e irritabilidade no período menstrual apresentaram melhoras significantes. As atividades intestinais também tiveram sucesso já na primeira sessão, pois no dia seguinte a paciente relatou ter ido ao banheiro e isso se manteve por todo o tratamento.

Com o avanço do tratamento, ocorreu uma diminuição na concentração de TSH e foi feito ajuste na dosagem do medicamento, para restabelecer os parâmetros normais de concentração hormonal circulante em corrente sanguínea. A paciente passou a utilizar a concentração de 88 mcg/dia (redução de 25% na dosagem da levotiroxina sódica). A paciente, conseguiu recuperar peso, passando de 46 kg para 52 kg, além de não mais apresentar as dores e sintomas já citados anteriormente.

Dentro do conceito da MTC, a doença é considerada como um desequilíbrio energético de nossos órgãos (Zang Fu), causadas por fatores internos e externos (Xie Qi). A partir do momento que são eliminados os fatores perversos e restabelecido o equilíbrio, é oferecido ao organismo, uma condição de se restabelecer. A escolha dos pontos e a técnica empregada nesse estudo de caso mostraram-se eficaz para esse binômio Equilíbrio / Saúde e efeito significativo direto no funcionamento da Tireoide.

Deixe seu Recado