Imprensa

Terça-feira, 21 de Novembro de 2017 - 08:48 - Atualizado em 21/11/2017 08:59

Magnetoterapia na Fratura de Escafóide - uma análise bibliográfica

JÉSSICA LILIAN DA SILVA ARANTES

JOSY YUME GARCIA

Artigo elaborado baseado em partes do Trabalho de Conclusão de Curso. Autora do artigo: Profa. Larissa A. Bachir Polloni - CETN

A fratura do Escafóide é uma das fraturas mais complicadas que podem acontecer, pois este osso tem pouca vascularização comparando a outros ossos do corpo e esta fratura não é visível nas primeiras radiografias após a queda. Por outro lado o escafóide é um osso muito solicitado mecanicamente, pois liga à primeira fileira de ossos do carpo a segunda fileira.

Quando ocorre a sua fratura, instala-se instabilidade do carpo, com conseqüente desarranjo entre os ossos desta região.  O tratamento fisioterápico imediato até uma semana deve-se tratar do edema gravitacional, se dentro de 16 semanas não tiver ocorrido progressão da união óssea será mais indicado o tratamento cirúrgico. 

A Magnetoterapia é um sistema único de restabelecimento da saúde através da aplicação externa de magnetos ou eletromagnetos. Essa técnica tem mostrado resultados positivos no tratamento conservador, tratando da analgésica e por facilitar a consolidação óssea diminuindo assim o tempo da alta no tratamento fisioterápico.

Dentro da Medicina Chinesa, quando pensamos em fratura, logo pensamos na função dos rins, pois eles são responsáveis pelo desenvolvimento de ossos e dentes fortes. Quando os rins estão deficientes, os ossos tornam-se mais quebradiços e a saúde dental deficitária (mais cáries e sensibilidades).

Na medicina tradicional chinesa os ossos são estruturas de natureza Yin. O elemento água vem a ser responsável pelos ossos. Desta forma temos o Rim como o principal órgão e o responsável pela adequada embriogênese, nutrição e desenvolvimento ósseo. A solidez dos ossos esta diretamente relacionada às perfeitas condições dos Rins16.

A manutenção do tecido ósseo está diretamente relacionada com a função de dois tipos de células, os osteoblastos e os osteoclastos, sendo as primeiras relacionadas com a síntese de matriz óssea e Yin, e as segundas relacionadas com a reabsorção óssea e Yang. O Baço também exerce uma importante função no que diz respeito a fornecer "material" para a formação óssea e o Fígado, participa da regulação do metabolismo ósseo, crescimento e evolução.

Segundo Barela (2000), através da inserção de agulhas há estimulação de fibras sensitivas A, de condução mais rápida (mielínica) e C, de condução mais lenta (amielínica), as quais levam os estímulos até o corpo posterior da medula e este ascende pelo trato espinotalâmico. As fibras do tipo A, em especial as fibras Ab, são responsáveis pela percepção mais fina (tato) e as fibras do tipo C pela condução da dor, em especial de característica difusa e em queimação. Mas isto é apenas parte de um complexo sistema que ainda permanece não totalmente compreendido, pois o tratamento pela acupuntura tradicional chinesa revelou ser mais eficaz que o simples agulhamento em pontos pré-estabelecidos.

O ponto ashi estimula a circulação do QI e XUE, o IG5 dispersa o calor do meridiano, estimula a circulação do QI e XUE, o ID5 elimina o calor e desbloqueia o punho, o TA4 elimina calor e a inflamação e o IG11 desbloqueia o QI e XUE acalmando a dor.

MAGNETOTERAPIA: O magnetismo já é bem, conhecido da física e aplicado na indústria e no comercio, sua função clínica e alta eficiência no combate às doenças, seu reconhecimento ainda é restrito a poucos estudiosos e pesquisadores. O uso de magnetos para tratamento está ligada nas culturas antigas. As propriedades terapêuticas dos imãs foram utilizadas pelos chineses há 2000 anos.

O Magnetismo pode ser definido como a força de interação (ação mutua) entre dois magnetos, um material magnético bem próximo que transporta corrente elétrica. A força magnética resulta do movimento dos elétrons.

Através da experiência do Barão Von Reichonback (1788-1869), sabe-se que os polos de um magneto emitem raios de cores diferentes: o polo norte emite cor azul e polo sul emite cor amarelo-avermelhada.

Cada Magneto tem sempre dois polos opostos nas suas extremidades. Se um magneto se parte em dois ou mais pedaços, o magnetismo não se perde e cada pedaço se torna um magneto completo com polos norte e sul. No ponto onde a quebra ocorreu, as duas extremidades quebradas desenvolvem polaridades opostas.

O imã atrai o ferro e outros metais que existem nos líquidos orgânicos, concentrando as partículas de ferro, como a hemoglobina, mioglobina e citocromos.

Quando um magneto é aplicado no corpo humano, ondas magnéticas passam através dos tecidos e correntes secundarias são induzidas. Quando estas se chocam com as correntes magnéticas, produzem calor de impacto sobre os elétrons nas células do corpo. Tal calor é muito eficiente na redução de dores e inchaços em músculos e outros tecidos.

O movimento da hemoglobina nos vasos sanguíneos é acelerado e são diminuídos os depósitos de cálcio e colesterol no sangue. Outros materiais indesejáveis, aderidos à parede interna dos vasos, são dissolvidos porque o campo magnético aumenta o numero de centros de cristalização nos líquidos, evitando depósitos de sais e outros materiais. Com o sangue purificado, a circulação aumenta; a atividade cardíaca fica mais fácil, diminuindo a dor e a fadiga.

Por indução magnética é gerada um sensível corrente elétrica que estimula e facilita a emissão de estímulos em todo o sistema nervoso.

É promovida a secreção de hormônios e sua distribuição é facilitada pelo maior grau de ionização.

O protoplasma ionizado rejuvenesce os tecidos e ativa o metabolismo, pois através do sangue e da linfa, os nutrientes são fácil e eficientemente levados à cada célula do corpo.

Um campo magnético pode exercer influência sobre o diencéfalo (o cérebro médio que controla o sistema endócrino) e o cérebro anterior.

TRATAMENTO COM A MAGNETOTERAPIA: A potência dos magnetos mais usados na prática clínica para magnetopuntura variam de 250 a 1.000 Gauss, e estes podem ser utilizados em todo corpo, exceto no abdome de gestantes, tórax de pacientes com marca-passo e orelhas de pessoas que usam aparelhos auditivos.

A polaridade Norte é chamada de negativo e a polaridade Sul de positivo. A polaridade Norte desacelera a função celular, diminuindo a produção de hidrogênio, diminuindo a oxigenação das células facilitando a diminuição dos processos inflamatórios. A polaridade Sul acelera a função celular, aumentando a produção de hidrogênio e a oxigenação celular.

A carga negativa (Norte) atrai os íons sódio e impedem a despolarização da célula, e assim diminui o estimulo nervoso provocando efeito analgésico. Por haver essa desaceleração da função celular conseqüentemente todas as funções das células tem alteração, por isso não deve ser aplicada em casos de baixa resistência, baixa temperatura e em pacientes com metabolismo lento.

A carga positiva (Sul) acelera a função e a oxigenação celular, provocando um aumento da produção de hidrogênio. O sistema circulatório é o mais beneficiado com o uso do polo Sul, pois os Eritrócitos por conterem ferro são considerados paramagnéticos, e eles carregam o oxigênio aumentando o metabolismo do local onde foi aplicado o imã. O polo Sul também favorece a cicatrização do tecido pelo aumento da oxigenação e equilibrando o Ph do local. Por haver esse aumento da função celular não deve ser usado o polo Sul em casos de inflamação aguda, infecções por bactérias, câncer e tumores.

Se for um ponto de dor, a recomendação é colocar o magneto no local de incômodo, e no ponto de acupuntura se quer tonificar usa-se o polo Sul, e para sedar polo Norte.

Os pontos de acupuntura são pontos que concentram alta condutibilidade elétrica chamada bioeletricos.

No tratamento de fratura é usado o polo Sul na parte superior da fratura e polo Norte na região inferior, facilitando a recuperação do tecido ósseo.

DISCUSSÃO: Acupuntura é uma forma segura e viável de alivio da dor em pacientes com fraturas. Além de melhorar a vascularização, coloração local auxilia a cicatrização e reestruturação do fluxo de energia dos meridianos. Sua visão do indivíduo como um todo trata o órgão responsável, melhora seu funcionamento e não apresenta riscos ou efeitos colaterais relevantes.

Estudos de Okanoet al confirmam que campos magnéticos estáticos melhoram significativamente a vasodilatação induzido pela noradrenalina, bem como a vasoconstrição induzida por acetilcolina, sugerindo que ocorra efeito modulador do tônus vascular devido à modificação da vasomotricidade no tecido cutâneo.

Mayrovitz e Groseclose confirmaram o efeito acelerador da perfusão sanguínea sob a pele quando esta é submetida a um campo magnético.

Na visão da Medicina Ocidental a formação óssea é constituída por tecido conjuntivo rígido caracterizado pela presença de cálcio, fibras de colágeno e proteoglicanas, já na Medicina Tradicional Chinesa não basta ter a formação por esses tecidos vai muito além de apenas qualidade e funcionamento das células, toda a energia do corpo deve estar em total equilíbrio principalmente o Rim órgão esse que é responsável pela nutrição e formação óssea. 

Deixe seu Recado