Imprensa

Quarta-feira, 21 de Novembro de 2018 - 09:05 - Atualizado em 21/11/2018 09:36

Gonartrose: conheça os benefícios da acupuntura no tratamento da doença

novembro, 2018, imprensa,
Gonartrose
Autora: Lourdes Soares
Muitos pacientes procuram as clínicas de acupuntura para auxiliar no tratamento de patologias do joelho. A gonartrose, também chamada doença articular degenerativa, dentre elas, é a que se apresenta como a maior causa de morbidade e de limitação funcional. É uma condição músculo-esquelética importante caracterizada pela perda da cartilagem articular que leva à dor e à perda de função. Pode resultar em mudanças que afetam não só tecidos intracapsulares, mas também periarticulares como ligamentos, cápsulas, tendões e músculos.

Frequentemente surge como parte do processo de envelhecimento acompanhando artrose de outras articulações do corpo, e sua prevalência vem crescendo devido ao aumento da expectativa de vida, ao sedentarismo, à má alimentação e à obesidade.

Apresenta sintomas dolorosos e inflamatórios localizados, dificultando a deambulação e as atividades diárias. Dessa forma, cursa com limitações e pode colocar o paciente em risco de quedas, contusões e fraturas, principalmente os de idade avançada.

Um diagnóstico clínico confiável de osteoartrose do joelho pode ser feito de acordo com três sintomas (dor no joelho persistente, rigidez matinal e função reduzida) e três sinais (crepitação, evidências de circulação restrita e alargamento ósseo).

Nos estágios iniciais, os pacientes apresentam predominância de sintomas inflamatórios como dor, aumento do volume articular e limitação matinal de movimentos. Nessa fase, a resposta terapêutica aos analgésicos e anti-inflamatórios costuma ser boa.

Nos quadros mais avançados, aparece dor em repouso, alterações estruturais associadas, instabilidade articular e maior limitação dos movimentos. Nesse estágio da doenca, a resposta aos analgésicos comuns e anti-inflamatórios não é boa.

As recomendações para o manejo da osteoartrose de joelhos – incluindo os guidelines publicados pelo Colégio Americano de Reumatologia e pela Associação Europeia de Reumatologia – focam os objetivos do tratamento em aliviar a dor, melhorar e manter a capacidade funcional, minimizando as consequências das deformidades. Os tratamentos fundamentam as suas indicações no quadro clinico, no grau de deformidade e comprometimento articular.

A terapia medicamentosa pode incluir o uso de analgésicos, anti-inflamatórios não hormonais, analgésicos opioides, agentes modificadores da estrutura do tecido conjuntivo, terapia intra-articular com infiltração de corticoides e viscossuplementadores. Também há indicações para lavagem articular fechada e terapia por ondas de choque.
Dentre os tratamentos conservadores possíveis, estão indicados a fisioterapia, atividades físicas sem impacto, reeducação postural, pilates, além de medicamentos para o controle da dor.

Quando a dor é intratável com importante perda funcional ou quando a instabilidade articular é severa, pode ser indicada a cirurgia de substituição da articulação afetada por uma prótese. É preciso ressaltar que a indicação cirúrgica apresenta limitações com o avanço da idade já que a maioria dos idosos apresenta comorbidades e o pós operatório é prolongado e laborioso. Muitos pacientes ainda são reticentes quando frente à possibilidade de uma artroplastia total de joelhos, e em geral vão procurar opções que possam proporcionar uma abordagem conservadora por um tempo prolongado.

A acupuntura é reconhecidamente um método eficaz para o controle da dor. Infelizmente para os casos avançados com deformidade articular os benefícios são pequenos, embora ainda seja empregada para os pacientes que têm contra indicação formal ao procedimento cirúrgico. Nos casos iniciais, uma vez que o paciente adote as medidas para retardar o processo de artrose, o tratamento adjuvante com acupuntura pode trazer benefícios locais como melhora da amplitude de movimento, do edema e da dor.

Para a Medicina Tradicional Chinesa, o acometimento da artrose é um processo crônico devido, na maior parte dos casos, ao acúmulo de frio e umidade no corpo, e pode ser controlado com abordagem dietética adequada, acupuntura, exercícios e fitoterapia.

Em pesquisa nos bancos de dados da Biblioteca Virtual em Saúde nos últimos vinte anos, foram encontrados 14 estudos, publicados em espanhol, inglês e alemão, que fazem referência ao uso da acupuntura no tratamento da gonartrose. Foram feitas análises comparativas entre grupos tratados com terapia convencional medicamentosa (corticoides, anti-inflamatórios não esteroides e glucosamina/condroitina) e grupos aos quais foram acrescidos o tratamento com acupuntura.

Resumidamente, em todos os trabalhos a conclusão é de que o grupo tratado com acupuntura apresentou melhores resultados no que diz respeito aos sintomas dolorosos e à mobilidade articular, porém ainda são necessárias novas avaliações, com grupos maiores e estudos duplo cegos e randomizados para conferir eficácia mais que moderada ao tratamento adjuvante.

Observou-se também que os resultados dos grupos tratados com acupuntura foram mantidos a médio e longo prazo, o que constitui um ponto muito positivo dada a cronicidade da doença. No nosso ponto de vista (de médicos acupunturiatras), a acupuntura está sempre indicada para o controle da dor e para promover mais conforto e suporte emocional aos pacientes, principalmente os idosos não elegíveis para o tratamento cirúrgico.

PEBMED
Deixe seu Recado