Imprensa

Terça-feira, 27 de Fevereiro de 2018 - 09:05 - Atualizado em 27/02/2018 09:35

Estudo comparativo entre técnicas da fisioterapia e técnicas de acupuntura em lesões do ombro e manguito rotador (Revisão bibliográfica)

Artigo baseado no TCC do curso de Pós-Graduação em Acupuntura dos alunos: Jeferson O. Mateus e Raoni B. Santarelli.

A articulação do ombro com normalidade funcional possui uma importância maior do que se supõe. As lesões no manguito rotador (MR), como lesões degenerativas ou traumáticas, são as causas mais frequentes pela qual os pacientes buscam tratamentos, portanto merecem uma atenção no diagnóstico e tratamento, sendo considerada hoje, uma patologia que exige a participação de equipe multidisciplinar (VEADO e FONSECA, 1992; MARTINS, 2011).  O Manguito rotador é a porção muscular que atua para estabilizar dinamicamente e equilibrar a cabeça do úmero em relação à glenóide, e  o grupo muscular axial (deltóide e peitoral maior)  move o úmero: a ruptura ou lesão do manguito rotador pode levar à perda da função do ombro em variados graus (MCLAUGHLIN, 1962).

Na medicina ocidental as opções para tratamento dessas lesões extensas do manguito rotador baseiam-se no tratamento conservador, como medidas analgésicas, anti-inflamatória e fisioterapia, ou abordagem cirúrgica, como reconstrução com enxerto homólogo, transferências de músculos da cintura escapular e artroplastia reversa do ombro (BENNETT, 2003; MARTINS, 2011).

 O tratamento conservador consiste na combinação das modalidades (ANDRADE, 2004): Infiltração de corticosteróides - Atua diminuindo o processo inflamatório e, consequentemente, a dor, facilitando assim a reabilitação. Os efeitos nocivos dessas substâncias são bem conhecidos (atrofia e piora da qualidade tissular, que poderiam dificultar um eventual reparo cirúrgico futuro).

Anti-inflamatórios não-esteróides e ultrassom - Embora não existam estudos controlados avaliando a eficácia dessas modalidades no tratamento das lesões do manguito rotador, são amplamente utilizadas e atuam aumentando o fluxo sanguíneo e diminuindo o processo inflamatório.

Fonoforese - O ultrassom é utilizado para a administração de medicamentos esteróides ou não-esteróides por via transdérmica para evitar os seus efeitos colaterais sistêmicos. Amplamente utilizada, embora a sua eficácia não tenha sido ainda definitivamente provada.

Cinesioterapia - Parte importante do tratamento não-cirúrgico, dividida em duas fases:  exercícios de alongamento com o objetivo de obter a recuperação completa das amplitudes do movimento e exercícios de reforço para o manguito rotador e os estabilizadores da escápula e, posteriormente, para o deltóide. Embora alguns pacientes possam reabilitar-se com sucesso apenas com exercícios domiciliares, a orientação e o acompanhamento de um fisioterapeuta parece que os beneficiam em sua grande maioria.

Como recurso na MTC, a acupuntura atua sobre o controle da dor, pois a estimulação promovida por essa técnica ativa o sistema modulador da dor por hiperestimulação das terminações nervosas de fibras mielínicas, responsáveis pela condução do estímulo aos centros medulares, encefálicos e eixo hipotálamo-hipofisário. Os pontos de acupuntura podem ser estimulados por acupressão, moxabustão, laserpuntura, auriculoterapia e eletroacupuntura, dentre outras técnicas (TAFFAREL e FREITAS, 2009). No ocidente a acupuntura é utilizada como adjuvante no tratamento da dor, pois promove hipoalgesia. A abordagem da acupuntura e medicina chinesa visa melhora da amplitude de movimento, alívio da dor, reforço do manguito rotador, terapias alternativas que permitam a reestruturação articular e exercícios que sejam capazes de permitir a redução do impacto das estruturas (NORKIN e LEVANGIE, 2001; O'SULLIVAN, 2004). A acupuntura mostra-se como uma alternativa de terapia adjuvante ao controle da dor, já que possui mínimos efeitos adversos e contraindicação (TAFFAREL e FREITAS, 2009).

O tratamento pela acupuntura visa a manutenção do fluxo suave e harmonioso do Qi e assim, traz a saúde para os organismos. Os meridianos percorrem todo o corpo conduzindo e distribuindo o Qi para todas as regiões, incluindo os órgãos internos. A estagnação de Qi e Xue na área forçada é devido a uma repetição constante de determinados movimentos no trabalho e se houver uma deficiência de Qi , Yin, Yang e ou Xue, ocorrerá uma má nutrição dos meridianos e sistemas internos , no qual irá proporcionar a LER/DORT. Na teoria dos 5 elementos (Fogo, Terra, Metal, Água e Madeira) os portadores da LER/DORT no ombro geralmente são da constituição madeira. As lesões tendinosas estão relacionadas com o Fígado e Baço/Pâncreas, pois a parte contrátil do sistema musculoesquelético (tendão) está relacionada com o Fígado e a parte muscular, refere-se as funções do BP. O desequilíbrio do BP e do F podem resultar em deficiência de Xué para os músculos e tendões. Os problemas da articulação e músculos do ombro estão relacionados com traumatismo, invasão por vento frio ou umidade, doença crônica, estagnação do Qi do Fígado e deficiência generalizada do Qi e do sangue (Xue). Se a estagnação for do tipo Yang, além da dor surgem processos inflamatórios como bursites, tendinites, capsulites, etc. Se a estagnação for de características yin, podem se manifestar por depósito de cálcio nos tendões, como por exemplo, calcificação do tendão do músculo supra-espinhoso, uma vez que a polaridade negativa conferida pelo Frio atrai íons de cálcio. O ombro recebe a energia do Fígado e dos rins de modo que as alterações energéticas nesses canais também podem causar ombralgias.

Os acupontos sistêmicos sugeridos|aplicados: IG14, IG 15, TA 14, ID 9, ID 10, ID 11, ID 12, ID 13; ocasionaram a diminuição do quadro álgico e recuperação parcial dos movimentos afetados, que se dão pelo efeito analgésico e anti-inflamatório, e a capacidade da acupuntura em liberar os movimentos e diminuir a dor (GIUGNI e NETO, 2014). Por isso a acupuntura se tornou uma terapia aliada na diminuição da dor e no aumento da amplitude de movimento A aplicação da acupuntura mostra-se mais eficiente na diminuição da dor do que a aplicação do Laser de baixa intensidade. Embora ambos os tratamentos tenham tido ganhos em termos de diminuição da dor, a acupuntura mostra-se mais satisfatória

A acupuntura trabalha a dor e inflamação, melhorando a mobilidade do ombro. Como foi observado anteriormente a origem da dor do ombro está no desequilíbrio principalmente do Fígado. Está relacionado com aspecto emocional: egoísmo. Dor para frente e para cima reflete desequilíbrio no meridiano do IG; dor para trás e para cima reflete desequilíbrio no meridiano do TA; dor sobre escápula desequilíbrio no meridiano do ID.

Nesta revisão bibliográfica os resultados comprovam que a utilização das técnicas da medicina tradicional chinesa no tratamento de lesões do complexo do ombro e manguito rotador possuem alta eficácia. Grande parte dos autores que foram descritos afirmam que seguindo um protocolo baseado apenas em técnicas da medicina chinesa chega-se em resultados satisfatórios, podendo se obter resultado mais amplos seguindo a área de estudo e pesquisas. A acupuntura tem a grande função de tirar a dor, mantendo o fluxo de energia suave, porém as técnicas de fisioterapia tem mais sucesso no caso de recuperação de amplitude de movimento.  Deve-se colocar no conteúdo o fato de alguns autores descreveram que o tratamento descrito não é o mais adequado para lesões do complexo do ombro e do manguito rotador, assim sendo encaminhado para o tratamento cirúrgico. Devemos focar a importância de estudos e revisões bibliográficas que permitam demonstrar programas utilizados durante o processo de reabilitação, determinando cada vez mais a atuação da medicina chinesa no meio científico e social.  Além de utilizar ferramentas avaliativas e reabilitadoras demonstrando a importância das mesmas durante a elaboração e desenvolvimento de um programa de reabilitação.

Autora: Carla Ceppo

Deixe seu Recado