Pós-Graduação em Acupuntura

O mais completo do Brasil

Imprensa

Terça-feira, 26 de Maio de 2020 - 09:59 - Atualizado em 26/05/2020 10:16

Aplicação de Acupuntura no Tratamento de Artrose e Perda Óssea no Tornozelo: estudo de caso

Artigo baseado no TCC da aluna Bianca Ferrari, para conclusão de pós-graduação do curso de Acupuntura do CETN.

Artrose, artrite degenerativa, osteoartrose ou osteoartrite, é uma doença que acomete as articulações, ocorrendo a degradação dos tecidos que as compõem, em especial cartilagem e ossos. As superfícies articulatórias, ao invés de estarem acolchoadas pela cartilagem, tornam-se rugosas e atritam-se. Isto faz com que haja a destruição destes tecidos, causando deformação das articulações, limitando ou até bloqueando os movimentos. Os sintomas são: dor, sensibilidade a palpação, fraqueza nos membros, limitação da função articulatória, perda do movimento, rigidez, atrofia muscular. Existem pessoas assintomáticas sendo indicado detectar a artrose através de radiografia. A artrose é causada pelo desgaste de uma articulação. A cartilagem é o tecido fino que reveste os ossos nas articulações e permite que esses deslizem uns sobre os outros. O líquido sinovial lubrifica as articulações e os ligamentos que ajudam a manter unidas e estáveis as articulações. O pé possui um grande número de articulações, que sustentam o peso corporal, sendo comum a ocorrência de dor nos pés por artrose. A ocorrência prévia de fratura, reumatismo, idade avançada e deformidades congênitas podem ocasionar a artrose. Existem algumas alternativas de tratamento para os casos de artrose nos pés, entre elas as principais são medicamentos, fisioterapia, exercícios, palmilhas sob medida e cirurgias. A osteoartrose pode ter diferentes graus, desde uma artrose leve (sem dor ou perda de função) a uma artrose grave extremamente limitante, em que o paciente pode perder quase todos os movimentos. A artrose também pode ser causada por um processo de "morte óssea" chamado de osteonecrose, causada por fraturas ou por doenças que acometem pequenos vasos sanguíneos como o lúpus, anemia falciforme ou mesmo a artrite reumatóide.

Para a Medicina Chinesa, a artrose enquadra-se em uma Síndrome de Obstrução Dolorosa originada por invasão de fatores patogênicos externos (Síndromes Bi), como umidade calor ou umidade frio nas articulações e consequente estagnação local dos mesmos. Faz parte de um grupo de desarmonias geradas pelo bloqueio da circulação de QI (energia) e XUE (sangue) nos canais energéticos. Este bloqueio ocorre devido a vários fatores, tais como: má circulação de base de QI e XUE, traumas físicos, hábitos de vida e desarmonias emocionais. Na MTC o Rim governa a medula espinhal e os ossos. Se a essência (JING) do Rim for forte, os ossos também serão fortes. Sobrecarga de trabalho, estresse emocional, preocupação, tristeza, raiva, irritação, distúrbios psíquicos e alimentação, associados ou não, são considerados os fatores etiológicos que enfraquecem a energia dessa essência. A deficiência do Rim caracteriza a artrose, pois o yin do Rim nutre o yin do Coração e controla o yang do Coração, assim como alimenta as células cartilaginosas – condrócitos. Como a umidade está relacionada ao Baço e este é responsável pela forma, pouco a pouco vai desencadear uma deformação que chamamos de artrose ou reumatismo deformante. Neste caso, há comprometimento da estrutura óssea envolvida. Se o Coração deixa de distribuir energia, o Rim fica ainda mais deficiente, resultando na formação de cristais de cálcio – osteófitos. Consequentemente os condrócitos, não alimentados pelo Rim, passam a ser mais facilmente destruídos, gerando assim deformidades, o grau mais avançado da artrose.

O objetivo do estudo foi, avaliar uma senhora de 72 anos, de forma holística, realizar o diagnostico energético, elaborar proposta terapêutica, realizar o tratamento com bases na Medicina Tradicional Chinesa (MTC), utilizando as práticas de acupuntura e magnetoterapia, para a melhora na qualidade de vida, através da manutenção ou recuperação da capacidade do indivíduo em realizar suas atividades habituais. Foram realizadas 24 sessões de acupuntura, sendo duas sessões por semana.

A Medicina Chinesa visa o tratamento da artrose e não apenas a eliminação dos sintomas. A acupuntura é uma considerável opção de tratamento mais comumente utilizado como terapia complementar contra as dores, levando a analgesia através da liberação de substâncias que culminam na vasodilatação sanguínea local e em seguida ao aumento de serotonina e as células de defesa. Efeitos medulares, impedindo a transmissão do impulso e a sequência de sinapses até os centros superiores, ativando o hipotálamo e liberando endorfinas. O processo terapêutico da MTC passa pelas seguintes etapas:

Diagnostico energético: Tratar o déficit energético dos rins e tornar o sistema energético mais forte (tonificar) é essencial porque só assim é possível tratar e prevenir a causa do problema. Fazer circular o QI e o XUE. Eliminar as energias climáticas (calor, frio e umidade da zona afetada) que invadiram os canais energéticos do paciente. Aumentar o processo individual de defesa do organismo. Fortalecer o organismo como um todo. Amenizar e estabilizar as condições emocionais do paciente. Por tratar-se de uma doença crônica, o tratamento deve ser iniciado o mais cedo possível e de forma individualizada.

Histórico: sexo feminino,72 anos, casada, médica, funcionária pública da Unesp, professora universitária, relata dores e inchaço no tornozelo direito, chegando a ser nota 9 em relação a dor.

Queixas secundárias: dor na nuca e lombar. Fez diversas cirurgias como reconstrução da parte óssea do tornozelo direito, plástica de rosto e olhos devido a acidente, cesárea e apendicite. Sente muito frio, principalmente à noite, teve embolia pulmonar (hoje em dia sente falta de ar), a urina é clara, chega a ir de seis a oito vezes ao dia no banheiro para urinar, fezes solidas “normais”, vai uma vez no dia ao banheiro para evacuar. Acorda as 2 horas e as 4 horas da madrugada, sonha bastante. Preferência pelo sabor salgado, não tolera muita pimenta, sente muita sede e toma bastante água, porem só gelada.

Emocional: é uma pessoa tensa, guarda muitos sentimentos, ansiosa e preocupada. Na palpação dos pontos alarme, sente dores, não tolerando muito, chegando até gritar. A língua apresenta-se pouco pálida, forma arredondada e fina na ponta, no fundo tem algumas papilas, corte (fissura) no centro da língua chegando até a ponta, saburra é úmida e amarelada espessa no meio da língua. Ponta da língua vermelha. Já o pulso era rápido, cheio e profundo.

DIAGNÓSTICO ENERGÉTICO: As avaliações energéticas do paciente, segundo os critérios da MTC, revelaram sinais e sintomas que caracterizam as síndromes de Deficiência de Yin do Rim e deficiência de QI do Baço, levando a uma estagnação de QI e XUE, causando edemas e dores nas articulações do tornozelo. A técnica escolhida para o tratamento do paciente foi à associação de Pontos Fonte, Pontos Mestre e Magnoterapia, para tonificar e equilibrar as funções dos Órgãos: Baço/Pâncreas e Rim, movimentar o QI e XUE.

Pontos Fonte: estão dentre os mais eficazes pontos da Acupuntura. Pontos Fonte dos meridianos Yin – P9, BP3, C7, R3, CS7 e F3 - e os dos meridianos Yang – IG4, E42, ID4, B64, TA4 e VB40. Estes pontos estão relacionados ao QI original e estão localizados nos punhos e nos pés. Os Pontos Fonte dos canais Yang têm como função principal expelir fatores patogênicos externos, eliminando excessos. Os pontos dos canais Yin, utilizados neste estudo, além de dispersar excessos, tonificam as deficiências dos Órgãos, equilibram Yin e Yang e estabilizam emoções. Podem ser utilizados também durante o diagnóstico, pois a pele na região dos pontos pode apresentar alterações.

Foram utilizados:

B64: Relaxa tendões. 

R3: Trata afecções da articulação do joelho. Equilibra yin e yang do organismo. Descongestiona e ativa o meridiano na extremidade inferior.

C7: Regula e fortalece o coração (o yin e o sangue), tranquiliza o shen.

P9: Fortalece o pulmão, transforma o muco, diminui a energia de QI do pulmão, regula e harmoniza os vasos, torna permeáveis os canais de energia e alivia dores.

F3: Distribui o QI do fígado, age na cabeça, abre os olhos, nutre o sangue, e o yin do fígado, acalma espasmos, alivia dores.

BP3: Fortalece o baço, remove umidade.   

Pontos Mestres: chamados também de Pontos de União ou de Influência, pertencem aos Meridianos Principais e tem influência direta sobre as estruturas do corpo. Atuam sobre os órgãos, vísceras, tecidos, QI e XUE, visando direcionar o QI e XUE para o local em questão. Eles tratam estruturas especificas (Interna). Foi utilizado:

VB34: Ponto Mestre dos músculos e tendões. Trata gonalgias, relaxa os tendões. Remove umidade-calor, elimina umidade e desobstrui o meridiano. Promove flexibilidade à articulação. 

Magnetoterapia: Tratamento feito através de aplicações de campos magnéticos, nas áreas afetadas, extremidades do corpo ou em pontos de acupuntura, com o objetivo de recuperar e manter a saúde e aliviar dores. Pode ser utilizado para desequilíbrios energéticos. Os campos magnéticos interagem com as células, promovendo e recuperando as condições fisiológicas e equilíbrio no organismo. Os pontos escolhidos para colocar os magnetos foram em todas as cicatrizes da paciente que ficam acima do tornozelo e ao redor do tornozelo. Sendo aplicado pólo norte de um magneto e pólo sul do outro magneto, alternando os pólos para gerar um equilíbrio no fluxo de energia.

RESULTADO: Paciente relatou melhora nas dores logo no dia seguinte a primeira sessão, dando uma nota de 6, sendo que ao decorrer das sessões foi diminuindo a nota até chegar nota 4 na nona sessão. Após isso se estabilizou em relação às dores. Durante o tratamento a mesma relata ter melhorado a parte do sono, conseguindo dormir melhor e não acordando várias vezes à noite. Apenas acordava para urinar uma vez na madrugada e voltava a dormir.  A dor na região da lombar relata ter melhorado bastante. Porém ao decorrer do tratamento tropeçou acidentalmente em uma escada ocasionando dores no quadril e na costela, local onde bateu. Foi avaliada por um médico para ver se tinha ocorrido algo mais sério e este prescreveu medicações fortes, pois as dores estavam bem intensas.  A paciente relata que prefere o magneto, pois se sentiu melhor, do que só a agulha, e obteve uma melhora significante. Atualmente sente dores porém, de menor intensidade e teria que mudar muita coisa no seu dia a dia em relação ao hábito de vida, para talvez conseguir diminuir essa nota.

O presente trabalho avaliou a paciente de forma holística, realizou um diagnóstico energético, elaborou a proposta terapêutica e executou o tratamento com bases e conceitos na MTC, utilizando as práticas de Acupuntura e magnetoterapia. Não existem muitos estudos em relação a artrose na região do tornozelo, porem a eficácia do tratamento teve seus efeitos positivos, sugerindo assim um aprofundamento e levantamento de outros casos e estudos deste tema, podendo assim contribuir para elaboração de novos trabalhos. Pode-se concluir que as Técnicas de Acupuntura e Magnetoterapia trouxeram um equilíbrio de Yin e Yang, podendo ser ainda melhor se for dado continuidade ao tratamento, sendo um grande recurso para a melhora na qualidade de vida de indivíduos acometidos por artrose.

Autora do artigo: Carla Ceppo.

Deixe seu Recado
Receba Informações