Pós-Graduação em Acupuntura

O mais completo do Brasil

Imprensa

Quinta-feira, 01 de Agosto de 2019 - 07:42 - Atualizado em 01/08/2019 08:06

Aplicação da Acupuntura no Tratamento e Melhora dos Sinais e Sintomas da Psoríase - Estudo de Caso

AUTOR: Carla Ceppo, baseado no TCC da aluna Elaine C. Reato do CETN de Campinas.

Psoríase é uma doença inflamatória crônica, de característica autoimune e etiologia desconhecida, com relação também ao fator genético/hereditário. Atinge milhares de pessoas em todo o mundo, variando em sua forma e gravidade de acordo com cada indivíduo, atinge ambos os sexos e idades, porém atingindo com mais frequência os indivíduos de pele branca e faixa etária entre 20 e 40 anos. Possui diversas formas, desde lesões mínimas e em partes do corpo isoladas (psoríase vulgar). Cerca de 20% dos pacientes apresentam a forma mais severa, com lesões extensas, escamosas e dolorosas em várias partes do corpo (psoríase generalizada). A psoríase não é contagiosa, mas não existe uma cura, apenas tratamentos que amenizam os sinais e sintomas e o sofrimento do paciente portador. Dos diversos tratamentos existentes, todos se baseiam conforme a idade do paciente, localização, gravidade e extensão das lesões, e o comprometimento emocional do paciente; podendo o tratamento ser tópico (medicamento diretamente sobre a pele), via oral/sistêmico e fototerapia (terapia por meio de luz ultravioleta).

Na visão da Medicina Tradicional Chinesa, todo organismo e suas estruturas permanecem em equilíbrio devido às energias YIN e YANG, quando em harmonia é um organismo saudável e seu desequilíbrio dá origem às doenças. Para a MTC, a Psoríase ocorre devido aos padrões sindrômicos como: calor no sangue, deficiência de sangue e secura, estagnação de sangue e umidade-calor. 

Este estudo de caso, bem como a escolha do tema foi justificado pelo contato e convívio com paciente portador da Psoríase, que trava uma batalha dolorosa para a manutenção dos sinais e sintomas da doença.

A Acupuntura é um método terapêutico dentro da MTC, praticamente sem efeitos colaterais e que utiliza recursos simples, de fácil acesso e baixo custo, complementando o acompanhamento médico habitual, auxiliando na redução e eliminação dos sinais e sintomas da doença, além de uma melhora significativa relacionada à parte emocional do paciente portador. 

Pela teoria do YIN e YANG, a psoríase é considerada uma doença de características YANG, por ser uma lesão expansiva, externa, eritematosa e seca, de crescimento acelerado e que acomete as regiões mais YANG do corpo como couro cabeludo e posterior de tronco. As causas são a combinação de fatores patogênicos externos (vento, umidade e calor) que obstruem a circulação de sangue. Quando a doença evolui para a cronicidade o sangue não é nutrido e o QI não circula, causando assim as lesões. Os padrões de desarmonia que causam a psoríase, são:  

Calor no Sangue: caracteriza-se por pápulas e escamas vermelhas na pele de aumento rápido e que quando raspadas se desprendem com facilidade;

Deficiência de Sangue e Secura: caracteriza-se por placas pálidas e secas, recobertas por escamas brancas, de evolução lenta e surtos esporádicos; 

Estase de Sangue: caracteriza-se por placas roxo-escuras com escamas grossas;

Umidade-Calor: caracteriza-se por máculas vermelho-escuras, cobertas por escamas grossas a pele fica úmida, por vezes com pústulas. A palma das mãos e a planta dos pés são as áreas mais afetadas;

Calor Tóxico: caracteriza-se por lesões eritematosas ou pustulares que se espalham rapidamente, em sua maioria vem associada à pruridos, sensação de queimação e dor;

Deficiência de YIN do Fígado e do Rim: caracteriza-se por máculas vermelho-pálida, coberta por fina camada escamosa.

Na MTC, QI e Sangue (XUE) são substâncias básicas da constituição do corpo; quando em harmonia temos um organismo saudável e se há desarmonia surge a doença. QI tem a função de nutrir e aquecer o corpo, promovendo a produção e o movimento de Sangue (XUE), aquecendo os ZANG FU e todo o organismo. O Sangue (XUE) tem a função de nutrir os tendões, os músculos e a pele. Se o Sangue (XUE) é insuficiente, a pele e os cabelos estarão secos, surgindo escamosidade, secura e coceira. A estagnação de Sangue (XUE) causa aspereza e coceira na pele, com descamação e crostas, como na psoríase. Em relação aos fatores patogênicos, o Vento pode associar-se ao Calor, que é de natureza YANG e em excesso pode consumir o YIN e danificar os fluidos corpóreos, causando pápulas, pruridos e vermelhidões, encontrados entre os sinais e sintomas da psoríase. 

A irregularidade na dieta também constitui um fator etiológico relacionado com o aparecimento ou exacerbação dos sinais e sintomas da psoríase. Alimentos crus, ricos em pimenta, gordura, fritura e doces podem levar ao acúmulo de calor-umidade no Baço e Estômago.

Na MTC, o Rim é responsável por armazenar a essência, que é a energia ancestral (JING), é herdada dos pais, nutre o feto e após o nascimento determina a base constitucional e a vitalidade do indivíduo. Se a essência estiver debilitada pela idade avançada dos pais ou exaustão no momento da concepção, o Rim pode ficar afetado. Assim a hereditariedade também é um fator etiológico da psoríase, pois o Rim deficiente não realizará sua função de metabolizar os fluidos corpóreos (JIN YE), para hidratar a pele, que ficará seca, desidratada e descamada.

A relação entre os problemas emocionais e a psoríase é evidente. Na Teoria dos cinco elementos o Fígado está relacionado diretamente com a estabilidade emocional, e a raiva é a emoção que o afeta. Na MTC a raiva é interpretada de forma ampla, pois inclui vários outros estados emocionais que podem afetar o Fígado; que quando persistem podem causar estagnação de QI e XUE, ocasionando manifestações clínicas como tonturas, dores de cabeça, manchas grandes e vermelhas na pele e face vermelha. O Fígado tem como função principal manter o livre fluxo do QI e apresenta grande influência no aspecto emocional do indivíduo; sendo assim, o livre fluxo do QI garante a estabilidade de nossas emoções.

O Pulmão, órgão responsável pela circulação do QI e controle da pele e pêlos, é atingido pela tristeza. Uma deficiência de QI do Pulmão torna a pele seca, fina e os pêlos tendem a cair. A tristeza geralmente está relacionada à colapsos de relacionamento ou perda de um ente querido.

Sendo assim, é possível constatar que além dos fatores patogênicos como o Vento, Calor, Umidade e Secura e a hereditariedade, temos também grande influência das emoções como fator desencadeante da psoríase. Ainda segundo a teoria dos ZANG FU, pode-se afirmar que os órgãos mais afetados pela psoríase são: Pulmão, Fígado, Baço e Rim. 

ESTUDO DE CASO: L.M.S.C., 48 anos, casada, cuida dos afazeres domésticos, reside com esposo e filha mais nova, a filha do meio é casada há 3 anos e o filho mais velho faleceu em um acidente de carro há 10 anos. Demonstra sentimento de tristeza sempre ao falar do filho. Nega doenças crônicas como Hipertensão e Diabetes. Portadora de Psoríase há cerca de 20 anos, faz uso de medicação para controle dos sinais/sintomas como os pruridos, indicado por médico Dermatologista, com ajuste de dose e desmame constantes a fim de evitar efeitos colaterais. Relatou que os sinais/sintomas da Psoríase se agravaram após falecimento do filho. Apresenta lesões escamosas em membros inferiores, região lombar e couro cabeludo. Queixa Principal: Pruridos e aumento das lesões decorrentes da Psoríase. Queixa Secundária: Ansiedade, tristeza e medo.

ANAMNESE: Relata sentir muito calor, principalmente após entrada na menopausa, prefere clima mais frio; dor em região lombar, mais comum após esforço. Sono agitado, acorda algumas vezes à noite; enjôos, má digestão, dor no estômago (remédios); intestino irregular (3x na semana); apetite moderado, preferência por sabor doce; ingestão de água moderada, média de 1l/dia; lesões de pele de aspecto escamoso e seca. Língua: tamanho normal, brilhante, saburra fina e branca, poucas marcas de dente e trêmula. Pulso: médio lento e fraco, com alteração em P/IG: vazio. 

Diagnóstico Energético: Substâncias Fundamentais: Qi Deficiente; Qi Estagnado; XUE Deficiente; Calor no XUE; Distúrbio do SHEN. Síndromes do ZANG FU: Deficiência de QI do Pulmão; Estagnação de QI do Pulmão; Deficiência de XUE do Fígado; Ascensão de YANG do Fígado; Vento do Fígado.  05 Elementos: Ascensão/Excesso da Madeira (neto contra dominando o avô), Metal em Deficiência. Diagnóstico Energético: Deficiência YIN do Pulmão – Metal Deficiente, Ascensão de YANG do Fígado – Madeira em Excesso, Distúrbio do SHEN. 

Proposta Terapêutica como Ação Energética:

Eliminar Calor: IG4 / IG11 / P11;

Tonificar YIN do Pulmão: P5 / P9;

Mover o QI: F3 / VC17 / cercar lesões (cercar o dragão);

Tonificar o XUE: F8 / BP6;

Eliminar o Vento do Fígado: VB20;

Acalmar o SHEN: CS6 / P7.

Seleção de Pontos: P7 / P9 / BP6 / CS6 / IG4 / B13 / F3 / VB20

Tratamento: Foram realizadas 24 sessões de Acupuntura Sistêmica, sendo uma sessão por semana com duração média de 30 minutos, utilizando a técnica de Ação Energética nos pontos selecionados, bilateralmente, com agulhas Dong Bang tamanho 0,25mm x 0,30mm em harmonização.

Evolução do Tratamento: Após o início das sessões vários sintomas apresentaram melhora significativa, como a ansiedade e o medo; paciente relatou melhora do prurido nas lesões e notou diminuição das mesmas em tamanho e quantidade. Após a 4ª sessão de Acupuntura foi notável a involução das lesões causadas pela psoríase, às mesmas diminuíram de tamanho, ficaram mais claras e menos escamosas; lesões em couro cabeludo também apresentaram involução no decorrer das sessões. Paciente manteve acompanhamento médico dermatológico durante todo o tratamento com Acupuntura. 

Na semana em que foi realizada a 9ª sessão de Acupuntura a paciente apresentou uma piora no quadro, as lesões estavam mais avermelhadas e o prurido intenso, apresentava também dificuldades para dormir, dores no estômago, uma ansiedade generalizada e relatou sentir medo de ficar sozinha. Naquela semana ela teve notícia do falecimento de um ente querido. O esquema de tratamento manteve-se o mesmo e durante duas semanas seguidas foi realizado o método de “cercar a lesão” em uma das lesões de maior tamanho e que também mais incomodava a paciente. Após a 14ª sessão a paciente voltou a estabilizar, tanto nas questões emocionais e relacionadas às lesões. A partir daí não houve o surgimento de novas lesões, e as existentes evoluíram de tal modo a se tornarem compatíveis com a pele saudável ao redor. Por fim, ao término do tratamento, na 24ª sessão a paciente relata bem estar e satisfação com o tratamento, foi possível observar ao longo dos 5 meses acompanhados com Acupuntura que apesar de um gatilho emocional ter trazido um desequilíbrio, a evolução na melhora dos sinais e sintomas da psoríase foi maior e mais significativa, tendo como resultado final satisfatório. 

Após a aplicação do tratamento do protocolo proposto neste estudo, houve melhora significativa e satisfatória de todos os sinais e sintomas físicos e emocionais, além de um salto para a melhora na qualidade de vida da paciente, visto que já estava há anos sob tratamento medicamentoso, porém com recidivas constantes e evolução da doença. Portanto, conclui-se que a Acupuntura Sistêmica, técnica da Medicina Tradicional Chinesa, mostrou-se eficaz na melhora dos sinais e sintomas da Psoríase neste estudo de caso.

2019, artigos, editor,
2019

Deixe seu Recado