Imprensa

Terça-feira, 12 de Junho de 2018 - 09:43 - Atualizado em 12/06/2018 10:07

Acupuntura no alívio dos efeitos colaterais da quimioterapia - Estudo de Caso

Artigo baseado no TCC dos alunos: Livia da Cruz Bacci e Rafael Garbeloti

Os cânceres se desenvolvem com múltiplas fases e ocorrem ao longo de muitos anos, podendo alguns tipos serem evitados pela eliminação da exposição aos fatores determinantes. Quando se encontra na fase inicial da doença e o potencial de malignidade for detectado antes de as células se tornarem malignas, o tratamento pode ser muito mais eficaz e com grandes chances de cura.

Na área da saúde o termo quimioterapia é utilizado para designar tratamento de neoplasias, porém a sua definição correta é de uma substância química, isolada ou não que tem por objetivo tratar uma patologia tumoral ou não. O objetivo principal da quimioterapia, é destruir as células neoplásicas e preservar as células normais. Porém, a maioria dos agentes quimioterápicos podem atuar de forma não-específica, e acabar lesando tanto células malignas quanto as normais. Diferente das técnicas de cirurgia e da radioterapia, a quimioterapia irá atuar por todo corpo, sendo uma forma de tratamento sistêmico, e considerada a melhor forma de tratamento, pois algumas células podem se desprender do tumor e migrar para outros órgãos (metástases) com isso, muitas vezes se torna uma melhor opção de tratamento.

Estudos indicam que a combinação de quimioterápicos em doses elevadas, resulta em uma elevada taxa de cura e melhoria das curvas de sobrevida dos pacientes com câncer. Sobretudo, os efeitos colaterais podem variar, conforme a droga a ser utilizada, que vai desde as mais leves até as que podem trazer risco de vida. Os efeitos tóxicos e terapêuticos dos quimioterápicos dependem da sua concentração plasmática, da droga utilizada e principalmente do seu tempo de exposição, na qual seus efeitos adversos são classificados em dois grupos: os agudos, que se iniciam minutos depois da administração dos agentes antineoplásicos podendo persistir por alguns dias, e os tardios, aparecendo semanas ou meses após a administração. Os principais efeitos registrados são: supressão da medula óssea, imunossupressão, alopecia (queda de cabelo/pelos), cardiotoxicidade (dano muscular ou disfunção do coração), toxicidade pulmonar, lesão gonadal e esterilidade. As complicações clínicas mais importantes conforme o tratamento com quimioterápicos são: náuseas e vômitos, depressão, insônia, mudanças no apetite e hábitos alimentares, constipação e fadiga.

Atualmente a acupuntura vem sendo muito utilizada para essa determinada situação, muitos estudos comprovam a sua eficácia em pacientes com diagnóstico de neoplasias que se encontram em tratamento quimioterápicos. Sendo de origem chinesa e com uma história milenar, a acupuntura busca sempre tratar o mental e o físico sem separar o ser humano em partes, tornando-o único, promovendo seu equilíbrio, restabelecendo sua saúde e melhorando sua qualidade de vida, na qual vem sendo aprimorada cada vez mais. Essa nova opção de tratamento para os efeitos adversos da quimioterapia é de suma importância para que todos profissionais da área da saúde, como farmacêuticos, biomédicos, fisioterapeutas, enfermeiros, médicos, tenham consciência da sua utilização e de sua eficácia, podendo ser acrescentada junto a uma equipe multidisciplinar, visando proporcionar uma melhora na qualidade de vida dos pacientes durante ou após seu tratamento.

Para esse estudo foi selecionada uma paciente, 59 anos, casada e aposentada; que foi diagnosticada com carcinoma agressivo na mama em junho de 2016, passou por um processo cirúrgico em julho de 2016 retirando um quadrante da mama direita e iniciou o tratamento com quimioterapia em agosto de 2016. M.R.Z.F relatou que seu tratamento inicial foi com quatro seções de quimioterapia vermelha (consideravelmente mais forte) em ciclos de 21 dias com duração de aproximadamente 6 horas cada sessão. Nesse período ela relatou tontura, raciocínio lento, náusea, ausência de paladar, insônia, perda do cabelo, sobrancelha e cílios, diarreia\constipação. Em seguida iniciou um segundo tratamento com 12 sessões de quimioterapia branca (consideravelmente mais fraca) em um ciclo semanal, com duração de aproximadamente 6 horas cada sessão. Devido ao tempo de tratamento proposto, alguns dos efeitos colaterais permaneceram e novos surgiram, sendo eles, ausência de paladar, aftas, vermelhidão no rosto após a sessão de quimioterapia, fadiga, falta de ar, diarreia/constipação. A paciente notou uma sensibilidade nas mãos e nos pés sentindo formigamento e fraqueza. Além dos medicamentos quimioterápicos fazia uso de Omeprazol, Candesartana + Hidroclorotiazida, Dramin B6®, Vitorin®.

Após anamnese foi estabelecido como técnica principal de atendimento, os Pontos Shu Antigo, que representam os 5 elementos em cada Meridiano e são muito utilizados nas técnicas de circulação e harmonização de energia tratando o paciente como um todo. Esses pontos estão localizados abaixo do cotovelo ou abaixo dos joelhos. No final de cada consulta realizava-se auriculoterapia para a estimulação de pontos pela própria paciente até o retorno.

Os atendimentos foram realizados uma vez por semana, geralmente um ou dois dias depois da quimioterapia. A paciente passou por um total de 6 sessões, com duração de 25 a 30 minutos cada. Foram utilizados: Agulhas descartáveis de marca DongBang 25x30mm, algodão e álcool 70%, para assepsia da pele antes da punção dos pontos a serem utilizados, e sementes de mostarda para a  Auriculoterapia.

Durante a etapa diagnóstica da paciente, foram identificados sinais de deficiência de energia do Rim e consumo de Jing (energia vital). Essas características são muito comuns em pacientes que passam por tratamentos agressivos como a quimioterapia, traumas e por mulheres na menopausa. Na análise da língua foi observado fissura vertical profunda até a ponta, tremor, marcas dentadas do lado esquerdo da língua, corpo pálido e arroxeado, além da presença de saburra fina, escura no fundo (TAI) e seca. Todos esses sinais confirmam o alto teor de consumo de energia gerando uma deficiência e uma presença de calor característica dos medicamentos envolvidos na quimioterapia.

Foram selecionados pontos com o objetivo de diminuir os efeitos colaterais causados pela quimioterapia, tendo em vista a proposta terapêutica de Fortalecer os Rins, Tonificar Jing (energia vital), Eliminar Calor, Regular o Qi do Estômago, Fortalecer o Baço, Tranquilizar o Shen, Tonificar Yin \Yang e Nutrir Xue (sangue). Os pontos utilizados durante as sessões eram escolhidos de acordo com a queixa apresentada pela paciente e de acordo com a sua função energética.  Entre eles estão:

  • R1: Reconstrói o yang em colapsos, elimina o excesso, o calor e o vento da região da cabeça e diminuiu o yang.
  • R3: Nutre o yin dos rins e filtra o calor insuficiente, fortalece o yang dos rins, estabiliza o Qi dos rins e o pulmão, regula a menstruação. Fortalece a região lombar.
  • R6: Nutre o yin dos rins, filtra o calor insuficiente, beneficia a garganta, regula o Triplo aquecedor inferior, tranquiliza o shen.
  • R7: Regula os caminhos da água e elimina edema, fortalece o rim- sobretudo o yang, afasta a umidade e umidade quente. Regula secreção e o suor, fortalece a região lombar.
  • R10: Conduz o calor e a umidade do Triplo aquecedor inferior para fora e beneficia o rim, torna permeável o canal de energia, acentua o ser.
  • P5: Filtra o calor do Triplo aquecedor superior, diminui a energia Qi do pulmão, regula os caminhos da água, torna permeáveis o canal de energia e os vasos luo. Alivia a dor.
  • P8: Diminui a energia Qi do pulmão alivia a tosse e a respiração ofegante. Abre os poros e conduz, entre outras coisas, o vento para fora. Torna permeável o canal de energia, principalmente o canal de energia local.
  • P9: Fortalece o pulmão, transforma o muco e diminui a energia qi do pulmão. Regula e harmoniza os vasos.
  • P10: Regula e energia do Qi do pulmão, resfria o calor do sangue, conduz patogênicos para fora da região da garganta, diminui a energia Qi do contra fluxo, harmoniza o estomago e o coração.
  • C3: Transforma o mudo, filtra o calor, tranquiliza o shen.
  • C8: Elimina o calor do coração e do intestino delgado. Regula o Qi do coração no caso de estagnação do Qi do fígado, tranquiliza o shen e fortalece o Qi do coração.
  • C9: Reanima a consciência, filtra o calor de outras extremidades do canal de energia, regula a energia Qi do tórax e filtra o calor do coração.
  • F4: Estimula o fluxo de energia Qi do fígado e regula o Triplo aquecedor inferior.
  • F8: Filtra e elimina a umidade e o calor úmido do Triplo aquecedor inferior, beneficia as genitálias e o útero. Nutre o sangue e o yin.
  • F13: Harmoniza o fígado e o baço, regula o Qi do baço, fortalece o baço. Torna permeável o canal de energia.
  • BP2: Regula e beneficia o baço. Harmoniza o triplo aquecedor médio e filtra o calor.
  • BP3: Fortalece o baço, harmoniza o Tripo aquecedor médio, remove a umidade quente.
  • E36: Regula o estômago, fortalece o baço, transforma a umidade. Fortalece o Qi e o yang, nutre o sangue e o yin. Tranquiliza o shen.
  • B66: Libera a cabeça dos fatores patogênicos, diminui o Qi do pulmão e do estômago, tranquiliza o shen, regula a febre causada por infecções bacterianas.

Resultados: Em relação as queixas primarias, a paciente relata que houve 100% de melhora na insônia, fadiga excessiva e memória, conseguindo realizar seus afazeres diários sem episódios de cansaço, esquecimento ou noites mal dormidas. O paladar retornou parcialmente porém estando muito mais aguçado, ou seja, todos os sabores eram sentidos de uma maneira mais forte impedindo a paciente de temperar muito os alimentos. O formigamento dos membros não melhorou em nenhum aspecto, sendo recomendado um tratamento específico para esse tipo de sintoma.

As queixas secundárias como a dor decorrente da artrose nas mãos, zumbido no ouvido e queimação estomacal desapareceram desde o primeiro dia de tratamento, possibilitando a paciente de abandonar o uso dos medicamentos como Dramin® e Omeprazol. Antes do tratamento a paciente dizia ser uma pessoa muito agitada e irritada. Quando iniciou o tratamento do câncer, por sentir muito medo, se tornou emotiva e explosiva. Após as 6 seções de acupuntura disse que a sua vida emocional foi a maior melhora de todas, afetando positivamente seu dia a dia. Relata estar calma e se sentir disposta.

Tabela de Resultados:

Acupuntura no alívio dos efeitos colaterais da quimioterapia - Estudo de Caso
1/2
Acupuntura no alívio dos efeitos colaterais da quimioterapia - Estudo de Caso
2/2

Autora: Carla Ceppo

Deixe seu Recado