Pós-Graduação em Acupuntura

O mais completo do Brasil

Imprensa

Terça-feira, 07 de Abril de 2020 - 11:03 - Atualizado em 07/04/2020 11:40

Acupuntura na Prevenção e Tratamento de Rugas Faciais

Baseado no TCC das alunas: Adélia Aparecida de Lima Multini e Cláudia Bernardes Pereira

Introdução:

No Brasil, a procura por tratamentos em clínicas de estética com técnicas ocidentais, cresceu 186% na última década, quase 20% ao ano (Bom dia Brasil, 2012). Atualmente o país é o quarto maior mercado mundial de cosméticos (CALEIRO, 2015)

Em 2013, o Brasil liderou o ranking mundial de cirurgia plástica, ultrapassando os Estados Unidos, segundo relatório da International Society of Aesthetic Plastic Surgery (GRACINDO, 2015). Em paralelo, existem os riscos de infecção hospitalar em procedimentos cirúrgicos. Foram enviadas à Agência Nacional de Vigilância Sanitária - ANVISA o total de 19.941 notificações de IPCS (infecções primárias de corrente sanguínea), destas 76,9% (15.434) com confirmação laboratorial. Os dados são provenientes das Unidades de Tratamento Intensivo - UTIs de adultos de hospitais públicos e privados de todas as unidades federativas, notificadas entre janeiro a dezembro de 2014 (ANVISA, 2015).

As rugas são vincos que resultam de uma flacidez da pele e dos músculos. São as chamadas marcas do tempo e da vida, pois decorrem da natural perda de tonicidade, elasticidade e firmeza inerentes ao passar dos anos e também da forma como nos vamos tratando, tanto ao nível físico como psicológico.  A Acupuntura no rosto é uma técnica que consiste na aplicação de agulhas extremamente finas nos pontos faciais de Acupuntura, promove a circulação sanguínea, desbloqueio, nutrição, oxigenação celular e aumento da energia vital, chamada Qi, que tonifica a musculatura, revitalizando a pele e suavizando as rugas. As rugas na maioria das vezes são causadas por sofrimento, tristeza, preocupação.  O estímulo da agulha promove a produção de colágeno e elastina do tecido, fechando as rugas e as linhas de expressão existente, combatendo o envelhecimento e os problemas associados, como perda da elasticidade, brilho da pele e o aparecimento de manchas. 

A pele segundo a Medicina Tradicional Chinesa:

De acordo com Mesquita e Mejia (2013) e Fornaziere (2007), as estruturas das camadas da pele para a Medicina Tradicional Chinesa (MTC) são similares à medicina ocidental moderna: camada superficial da pele (Fu), camada profunda da pele (Ge), Músculos subcutâneos (Ji), gorduras e músculos (Fen Rou), espaço entre a pele e os músculos (Cou Li), poros da pele, incluindo glândulas sebáceas (Xuan Fu).  A pele tem como a principal função ser a responsável pela defesa do corpo, sendo realizada por ela a filtragem e drenagem dos Fluidos Corporais para permitir que a Essência e o Qi possam se manifestar externamente. Permite ainda que o metabolismo do corpo funcione corretamente e assegura as funções dos órgãos Zang Fu a partir de sua proteção dos fatores patogênicos externos.  Segundo Fornazieri (2007, p. 46) “se fatores patogênicos se alojam na pele e os interstícios (cou li) estão abertos, eles se alojarão na rede de vasos. Se os canais estão cheios, eles invadirão os órgãos Zang-Fu”.  Na MTC, a pele é influenciada pelos pulmões, que tem como função o controle da abertura e o fechamento dos poros, que está relacionada com o Qi defensivo e é responsável pela proteção do nosso corpo.  Quando o Qi defensivo está em deficiência, os poros podem não fechar devidamente, facilitando a entrada de fatores patogênicos e a pele fica áspera e seca. Se os pulmões não conseguirem realizar sua função de dispersar os Fluidos Corporais, estes Fluidos podem se acumular nos pulmões e formar a Fleuma ou podem se acumular entre os músculos e a pele na região das pernas, provocando inchaço por causa da insuficiência do Qi dos Pulmões.  Porém, a pele também recebe influência da energia de outros órgãos, como o Estômago que é uma das origens dos fluidos corporais, sendo que uma parte é conduzida até o pulmão e a outra até os rins.  O Baço controla os músculos, que estão logo abaixo da pele. Quando está deficiente, pode provocar edemas ou sangramento dos vasos, o que acaba sendo demonstrado através da pele. A deficiência do Baço também pode ser observada na face através dos lábios. “Se o Qi do Baço é suficiente, os lábios estão vermelhos, úmidos e brilhantes. Se o Qi do Baço está deficiente, os lábios estão pálidos e sem brilho ou possivelmente um pouco amarelados” (FORNAZIERI, 2007, p.48).  O Rim também influencia a pele, pois quando o Qi do Rim está em deficiência, a produção do Qi defensivo é afetada. Embora os Pulmões façam a difusão do Qi Defensivo, o Estômago e o Baço contribuam com a produção do Qi Defensivo, o Qi Defensivo origina-se do Aquecedor Inferior e dos Rins. O Qi Defensivo é Yang por natureza, portanto, é influenciado pelo Yang do Rim e pelo /Fogo do Portão da Vida. Se o Yin dos Rins estiverem deficientes podem provocar secura nas pernas porque não está circulando bem os fluidos. Se for o Yang do rim que estiver deficiente, pode dar umidade na pele, acumulado entre a pele e os músculos, provocando o edema. Além destes fatores, o Rim é responsável pelo armazenamento do chamado Jing Qi Pré-Celestial, que é uma forma de energia que o indivíduo adquire ao nascer e gasta ao longo da vida, não sendo possível sua reposição. Quando este Qi está em deficiência, todo o corpo começa a padecer, indicando os sinais do envelhecimento, até que quando este Qi finda acaba também a vida. Este Qi também determina características hereditárias e os filhos herdam dos pais, características físicas e emocionais.  O Fígado influencia a nutrição da pele a partir do sangue e uma deficiência pode provocar a secura na pele. O Coração tem a mesma função que o Fígado para a pele, mas é mais observado na face. Quando os vasos sanguíneos da face são bem nutridos a face será corada e com brilho, úmida e macia. Se o Qi do coração é insuficiente, a face fica sem brilho e pálida. Em circunstâncias normais, a felicidade levará a harmonia entre o Qi e o Sangue, mas a ansiedade, preocupação e medo danificarão o Coração. Fogo no coração gerado por problemas emocionais pode ser transportado por meio dos vasos sanguíneos e se acumular na pele e na carne, pode causar doenças de pele, como o Pênfigo Vulgar ou a Urticária.  Portanto, a pele reflete o estado dos Fluidos Corporais e o estado dos órgãos internos, como também as condições de Calor ou Frio, Cheio ou Vazio, de Yin ou Yang. A cor da pele também é observada pela MTC para diagnosticar uma pessoa. A cor pálida pode indicar uma deficiência de Qi, Yang ou de Xue, a cor vermelha indica calor que pode ser de 5 plenitude, a cor amarela pode indicar umidade ou deficiência de Qi e de xue, o azul esverdeado indica Frio interno e a cor escura, pode indicar uma deficiência de Qi do Rim. Outra forma de identificar a qualidade da pele é através da sua textura. Se for lustrosa, indica um bom estado dos fluidos corporais do Pulmão, Estômago e Fígado. Com umidade normal, significa que o estado do Xue, Fígado e Rins estão bons. A pele seca indica deficiência de Xue do Fígado, a pele oleosa é devido à Umidade ou de Fleuma

Conforme Mesquita e Mejia (2015), o envelhecimento é um processo natural e que afeta tanto os órgãos como a pele e o processo é diferente nas múltiplas fases da vida. O tipo racial também influência no envelhecimento e que é demonstrado principalmente na qualidade da pele.  A pele jovem apresenta uma cor mais uniforme, boa textura, tem firmeza, não possuem manchas e rugas. Com o envelhecimento, que começa a ser notado a partir dos 40 anos de idade, a pele já começa a apresentar uma diminuição no nível de estrogênios e redução das fibras de colágeno, ficando mais fina e sensível, podendo apresentar manchas, rugas e células mortas.  A pele normal apresenta fibras elásticas em grandes quantidades, colágeno denso, substância fundamental pouco abundante e fibroblasto ativo e secretante. Por volta dos 40 a 45 anos tem perda de elastina, desunião das fibras elásticas, colágeno intocado. Depois dos 45 anos ocorre o desaparecimento praticamente total das fibras elásticas, desorganização do colágeno, surgem manchas na face e nas mãos, formando rugas, deixando a pele mais áspera e reduzindo a elasticidade e a firmeza da pele no rosto.  O processo de envelhecimento da pele é um processo natural e pode ser classificado como intrínseco e extrínseco. O intrínseco representa o envelhecimento natural e comum aos outros órgãos, já o extrínseco é aquele que ocorre devido aos danos causados pela radiação ultravioleta. O envelhecimento intrínseco é conforme a idade e ocorre de forma suave, lento e gradualmente, apresentando danos pequenos a estética. O extrínseco é mais agressivo na pele, sendo o principal responsável pelas rugas muito expressivas, manchas e o próprio câncer de pele. O envelhecimento intrínseco é consequência natural do desgaste do organismo e independe dos fatores externos, apesar de ser influenciado por ele. O extrínseco é causado por fatores externos, principalmente os raios ultravioletas, mas outros fatores também podem contribuir como o tabagismo, o estilo de vida, a alimentação, o peso, o estresse e a má qualidade do sono. No processo de envelhecimento, a camada da pele derme tem uma diminuição da espessura e fragmentação das fibras elásticas, constituída principalmente por elastina. Também tem a redução de mucopolissacarídeos e colágeno tipo I.  A influência racial no processo de envelhecimento se dá pela diferença da pigmentação da pele. Podemos dividir os grupos raciais em três: os caucasianos que tem a pele clara ou ligeiramente morena de nariz estreito, os negróides que tem a pele escura, cabelo encaracolado, nariz largo e achatado e os mongolóides que tem a pele mais clara, olhos puxados, cabelo liso, escuro e grosso. A diferença da cor da pele se dá por causa do melanossomas, grânulos localizados dentro da célula, que tem melanina que resulta na diferença da pigmentação da pele. A pele negra tem mais resistência aos raios ultravioletas porque os melanossomas estão mais dispersos no citoplasma dos queratinócitos e apresentam tamanho maior, chegando mais intactos à camada córnea, porém, apresenta uma maior perda de água em relação aos brancos e asiáticos, o que torna a pele mais ressecada. Isto pode explicar também porque os negros apresentam menos sinais de envelhecimento na face em comparação com os brancos e asiáticos.  A partir dos 30 anos surge os pés-de-galinha, perda da gordura da maçã do rosto e “bigode-chinês”. A partir dos 35 anos, linhas no buço e queda da pálpebra superior. A partir dos 40 anos, flacidez na bochecha, perda da definição do contorno do rosto e vinco no canto dos lábios. A partir dos 45 anos, vinco nas sobrancelhas, vinco na testa e linhas de flacidez no pescoço. A partir dos 50 anos, estreitamento do lábio superior e queda da ponta do nariz. Assim o envelhecimento cutâneo é um processo contínuo que afeta a função da pele e aparência. Neste processo, ocorre a modificação do material genético e a proliferação celular diminui, resultando em perda da elasticidade, diminuição do metabolismo e da replicação dos tecidos.  Uma das principais razões apontadas pelos pesquisadores como, responsável pelo processo de envelhecimento é o desequilíbrio do mecanismo de defesa antioxidante do organismo humano. (SHENEIDER, 2009).

Prevenção e Tratamento

 A Medicina Tradicional Chinesa preconiza que a má distribuição de energia vital é a causa das enfermidades. Logo, a acupuntura estimula alguns dos cerca de mil pontos existentes no corpo para reequilibrar o organismo, em especial, os pontos da face. Os resultados apontam que acupuntura estética vem contribuindo de mondo importante no processo de atenuação das rugas faciais. Considerando a eficácia de seus efeitos na pele humana, dentre os quais o rejuvenescimento cutâneo.

A acupuntura estética facial é um método que auxilia na redução de rugas, além de prevenir o envelhecimento, melhorando a estrutura da pele, renovando o estrato córneo e estimulando a circulação local. Essa técnica milenar já vem sido usada há muito tempo para atenuar as rugas.

Segundo Queiroz e Mejia, 2012 o tratamento é realizado de acordo com a necessidade do paciente, e a quantidade de sessões de acordo com o número de rugas que este deseja tratar, podendo ocorrer o acréscimo de técnicas complementares, como exercícios, eletroterapia, massagens e cremes para potencializar os resultados. É indicada a aplicação semanal, e a duração é de aproximadamente 30 minutos.  O tratamento estético por acupuntura é feito da mesma maneira que as sessões de acupuntura para doenças. A homeostase, ou equilíbrio energético é conseguido através da estimulação de determinados pontos situados nos canais energéticos, atuando tanto na queixa estética do paciente, quanto no equilíbrio do organismo, aumentando a imunidade e prevenindo doenças. No tratamento das rugas da face, deve-se primeiramente respeitar a anatomia dos músculos da face, sabendo quais são os músculos agonistas e os antagonistas. Existe uma regra que deve ser seguida para que os resultados sejam satisfatórios: nunca tonificar um músculo sem antes sedar o seu antagonista. 

De acordo com Nakano e Yamamura (2005) no caso das rugas horizontais da região frontal da face, elas são causadas pela ação do músculo frontal e inibição do seu antagonista, o músculo piramidal e o orbicular do olho. Logo, sedam-se os pontos responsáveis em franzir a testa que são: Yuyao, localizado no meio das sobrancelhas perpendicular às pupilas, e o VB 14, localizado uma polegada acima. Depois, tonificam-se os pontos Yintang, localizado entre as sobrancelhas, Taiyang (no final da sobrancelha), e TA-23, localizado na depressão lateral à ponta lateral do supercílio.  Os pontos de Acupuntura locais devem ser utilizados juntamente com os sistêmicos E-9, E-10, IG-4, R-7 (pele seca), IG-11 (pele oleosa), VB-43 e VB-44. No tratamento do envelhecimento há necessidade de tonificar o Wei Qi (Energia de Defesa), o Shen Qi (Rins), o Pi (Baço) e o Fei (Pulmão), para melhorar o tônus muscular, o tecido conjuntivo e a epiderme.  A Medicina Tradicional Chinesa afirma que cada área da face corresponde a um órgão ou víscera como, por exemplo: a linha horizontal acima do lábio superior está relacionada com o ovário e o útero, as olheiras referem-se aos rins. Para Fornazieri (2005) essa correlação entre a face e os órgãos sugere uma dupla possibilidade de efeitos ao punturar um ponto facial, repercutindo com ação local e sistêmica.  A Acupuntura possui inúmeras vantagens se comparando a outras técnicas. Além de ser indolor, ela não necessita de tempo para recuperação, o custo é muito baixo, não possui efeitos colaterais e os resultados são rápidos, vária de pessoa para pessoa, mas em alguns casos na segunda, terceira sessão, já se vê resultado. Com a Acupuntura estética, os efeitos são do interior para o exterior, a pessoa se reequilibra e rejuvenesce cerca de dez anos sem perder suas feições. Através da Acupuntura facial podemos promover duas ações no organismo: a primeira ação é localizada, onde a puntura facial desencadeia reações fisiológicas. O corpo entende a inserção da agulha como uma agressão, assim promove no local um aumento na circulação sanguínea, nutrição e oxigenação celular, aumento da energia vital Qi que tonifica a musculatura revitalizando a pele, suavizando as rugas. Essa “agressão” estimula a produção de colágeno através da proliferação de células fibroblásticas. O estímulo da agulha inserida na pele faz com que haja uma nova produção de colágeno e elastina no tecido, fechando os sulcos que ali existiam; a segunda ação consiste em estimular o equilíbrio interno dos órgãos, pois temos a representação dos Zang Fu (órgãos e vísceras) na face. Assim, alterações de manchas, cor, traços, marcas de expressão e rugas são indicativos de como o interior do organismo se encontra. 

Dessa forma, é necessário que o interior esteja equilibrado para que o reflexo no exterior seja belo. Temos que ver o indivíduo como um todo, não existe beleza sem saúde ou saúde sem beleza, as duas caminham juntas sempre. Segundo Queiroz e Mejia, 2012 a medicina estética no Brasil está avançando cada dia mais. As cirurgias plásticas da face estão ficando cada vez mais naturais e estão surgindo novas alternativas para o combate dos sinais de envelhecimento da face, como as rugas e a flacidez. A procura pela medicina estética está crescendo, assim como o número de novas técnicas para embelezar homens e mulheres. Homens e mulheres cada vez mais procuram manter ou aperfeiçoar sua aparência de acordo com sua própria visão de estética facial e, em especial, de olho nas técnicas utilizadas no combate às rugas e outros sinais de envelhecimento. As técnicas que lidam com estética facial são várias, como o Peeling, o Botox, a Bioplastia e o Lifting. No mundo de hoje, enfrenta-se regras de beleza. Apesar de nos últimos anos a estética ter evoluído e estar conseguindo resultados cada vez menos perceptíveis, as pessoas ainda são obrigadas a gastar muito com tratamentos de resultados duvidosos, ou até mesmo se submeterem a procedimentos de risco, que podem trazer efeitos indesejados e antiestéticos, ou até mesmo a morte.  Há, porém, recursos simples que se pode fazer para melhorar o aspecto geral da pele sem correr riscos e nem ter gastos desnecessários. Entre os diversos tratamentos propostos, alguns representam grandes resultados, enquanto outros não. A falta de pesquisas gera conceitos errôneos e falsa atribuição de resultados das técnicas de tratamento. Dentre os recursos utilizados na área de estética, a Acupuntura se destaca por ser uma técnica antiga e sem efeitos colaterais.  A união de técnicas ocidentais e orientais faz surgir novos conceitos de tratamento. Os pontos de acupuntura têm um grande potencial energético, local ou sistêmico. O equilíbrio obtido através do estímulo de alguns pontos dentro dos Meridianos, não ocorreria com pontos que não são de acupuntura. Existem recursos como: Agulhas (feitas de aço inoxidável. São bem mais finas que as agulhas de injeção comum. Quando bem manuseadas não causam dor e raramente ocorre sangramento do ponto estimulado); Moxa (é um tratamento que consiste no aquecimento de alguns pontos ou áreas do corpo com a finalidade de estimulo térmico, através da utilização de ervas medicinal, sendo a Artemísia a mais popular. Na visão chinesa é um processo que leva ao aquecimento de Qi, do Yang Qi e de Xue); Ventosa (é uma cúpula oca e a sua aplicação é feita na superfície da pele, gerando pressão negativa.

Este método libera a estagnação de sangue dos canais de energia que correspondem à área de aplicação); Auriculoterapia (é uma técnica que utiliza o pavilhão auricular para efetuar o tratamento, aproveitando o reflexo que a aurícula exerce sobre o sistema nervoso central); Eletro-acupuntura (Combina métodos como acupuntura clássica e a eletroterapia. Depois de inserida a agulha e encontrado o Qi, uma corrente elétrica passará por elas); Eletroestimulação Cutânea (é um método não invasivo e a aplicação é feita sobre a pele, sempre respeitando os pontos dos meridianos); Laser (o laser utilizado é o de gás Hélio. Sua ação baseia-se na geração de energia através dos pontos promovendo um equilíbrio energético orgânico); Plexus Turbo (é utilizado o mesmo princípio da Magnetoterapia, uma corrente elétrica passa nos ímãs levando a um intenso campo magnético); Stiper (Pastilhas macias produzidas com Silício Cristalizado (SiO2) e aglutinadas com Celulose Vegetal).  A intervenção com o uso destas técnicas, além de ser mais sutil, promove equilíbrio energético, emocional e orgânico, que vai se manifestar no exterior, gerando um melhor contorno e aspecto corporal, paz interna e satisfação pessoal. 

As vantagens de se fazer um tratamento estético com técnicas orientais são: os tratamentos são menos agressivos para a pele, comparado aos outros tratamentos mais invasivos, como por exemplo, os Sistêmicos ou Laser; gera homeostase no organismo, pois além da estética que é o foco, o tratamento restabelece o equilíbrio energético, tratando queixas secundárias ligadas à saúde; os resultados são mais duradouros, pois o equilíbrio conquistado mantém os resultados, por mais tempo; promove um lifting natural, pelo equilíbrio de Baço-Pâncreas (Pi); não modifica a expressão natural facial. 

Metodologia

Revisão Bibliográfica com base em pesquisas realizadas manualmente e eletronicamente em livros específicos de Acupuntura e Dermatologia, em revistas e jornais de redes eletrônicas (Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde (LILACS), Scientific Electronic Library Online (SciELO), Medical Literature Analysis and Retrieval System Online (MEDLINE), Biblioteca COCHRANE e Scholar Google.

Resultados e Discussão

Segundo Queiroz e Mejia, 2012 a acupuntura é interessante, pois não atua somente na retirada das rugas, a sua ação se estende beneficamente em todo o organismo. Além disso, possui inúmeras vantagens com relação a outros métodos e não é novidade na estética, porém, esse procedimento somente agora vem se firmando com outros tratamentos para combater as rugas faciais.  O estímulo oferecido pela acupuntura simula o que o seu cérebro fazia sozinho durante toda a sua juventude. Ela estimula a formação de substâncias que fazem a renovação celular e que com o tempo o seu cérebro 'achou' que não seria mais necessário. O estímulo da acupuntura 'faz acordar' áreas que estavam esquecidas pelo seu sistema nervoso, e com isso, começam novamente a trabalhar e a enviar os nutrientes necessários à renovação celular da área estimulada.

Conforme Beau (1982) retrata que a história mostra que o culto ao corpo sempre existiu em diferentes épocas. Na antiguidade, o belo e o harmônico eram representados através de pintura e esculturas que exaltavam além da forma física, a aparência facial. Nos dias de hoje, há uma busca pela perfeição, de modo que as pessoas recorrem cada vez mais aos tratamentos estéticos para estarem dentro dos padrões de beleza exigidos pela sociedade. A Acupuntura vem se destacando como um aliado aos tratamentos faciais.

Hoje já existem medidas eficazes para amenizar e retardar o envelhecimento e conseqüentemente o aparecimento de Rugas. Através de procedimentos que incrementem a circulação superficial local, com o objetivo de melhorar a nutrição e o metabolismo, assim como o aumento do tônus muscular, proporcionando uma melhora no aspecto geral da pele, retardando assim, o envelhecimento precoce da mesma.  O tratamento estético pela Acupuntura visa não só resultados externos, como os benefícios nutricionais, a suavidade na expressão facial, e a melhora na tonicidade muscular, esse tratamento visa à normalização dos sistemas e órgãos internos que possuem influências diretas nas diversas regiões do rosto. Trata-se primeiramente o interior, para depois atuar nos resquícios externos, a parte estética propriamente envolvida. Portanto, no tratamento estético facial pela Acupuntura, o objetivo é o equilíbrio energético entre Yang e Yin, sendo Yang a parte externa (pele, músculos e tecidos superficiais – estéticos), e Yin a porção interna do organismo (órgãos e vísceras – funções orgânicas). (QUEIROZ e MEJIA, 2012)

Para Nakano e Yamamura (2005) a epiderme tem relação com o Pulmão que representa o Elemento Metal, com a função de purificação e retorno a si. A pele, também se comunica com o Baço-Pâncreas que representa o Elemento Terra, com a função de nutrir e sustentar o seu filho, Metal. Com isso, a derme sustenta e nutre a epiderme já que esta não é vascularizada, estabelece-se a relação: mãe-filho, terra-metal, sendo que a epiderme relaciona-se com o metal e a derme com a terra. A epiderme tem relação com o Qi e com o Jing Ye (líquidos orgânicos). Já a derme se relaciona com o Qi, Jing Ye e Xue (sangue).  A cada momento, milhões de células estão morrendo e outras tantas estão 'brotando' dentro de nosso corpo, fazendo assim uma constante renovação. Com o passar dos anos, esse processo de renovação começa a cessar. Há um 'enfraquecimento' da renovação celular e nossos órgãos assim como nossa pele já não apresentam mais o mesmo padrão a que estávamos acostumados. E é aí que entra a acupuntura.

O foco principal de um tratamento, segundo a Medicina Tradicional Chinesa, é manter as forças Yin e Yang equilibrado no organismo, já que as doenças são desarmonias energéticas, pois o homem não deve ser analisado como um ser isolado e sim como pertencente ao meio ambiente, e nesta mesma linha de pensamento o corpo não esta separado da mente. No entanto, a ocorrência de qualquer doença é fundamentada devido ao desequilíbrio relativo de Yin e Yang, incluindo os distúrbios estéticos, portanto, o enfoque sempre será a harmonia energética. (XIMMONG, 1999)

O mecanismo de ação da acupuntura tem sido associado ao estímulo neuro-humoral para a liberação de certas substâncias como norepinefrina, endorfina, encefalinas, serotonina e a liberação ou inibição de algumas substâncias que atuam na sensação da dor. Também estariam envolvidos mecanismos de vasoconstrição ou vasodilatação que resultam no aumento de células leucocitárias. Esse tratamento visa a normalização dos sistemas e órgãos internos que possuem influências diretas nas diversas regiões do rosto. Trata-se primeiramente o interior, para depois atuar nos resquícios externos, a parte estética propriamente envolvida. Portanto, no tratamento estético pela acupuntura, o objetivo é o equilíbrio energético entre Yang e Yin, sendo Yang a parte externa (pele, músculos e tecidos superficiais – estético), e Yin a porção interna do organismo (órgãos e vísceras – funções orgânicas). (BICUDO, 2005).  A existência dos meridianos parece estar associada ao tecido conectivo frouxo, que seria responsável pela condução do estímulo ocasionado pelo agulhamento e pelos efeitos distais obtidos com a acupuntura. Alguns estudos também demonstram que os acupontos estão localizados em locais com maior espessura desse tecido (AHN, 2005). 

O tratamento é realizado de acordo com a necessidade do paciente, e a quantidade de sessões de acordo com o número de rugas que este deseja tratar, podendo ocorrer o acréscimo de técnicas complementares, como exercícios, eletroterapia, massagens e cremes para potencializar os resultados. É indicada a aplicação semanal, e a duração é de aproximadamente 30 minutos (ZUCCO, 2004).  No tratamento das rugas da face, deve-se primeiramente respeitar a anatomia dos músculos da face, sabendo quais são os músculos agonistas (agente principal na execução de um movimento) e os antagonistas (ação anatômica oposta à dos agonistas). Existe uma regra que deve ser seguida para que os resultados sejam satisfatórios: nunca tonificar um músculo sem antes sedar o seu antagonista (VAMRELL; PAULETE; OLIVEIRA, 1986). 

Conforme Mesquita e Mejia, 2013 a acupuntura não é novidade na estética, porém, esse procedimento somente agora vem se firmando com outros tratamentos para combater as rugas faciais. Essa técnica é interessante, pois não atua somente na retirada das rugas, a sua ação se estende beneficamente em todo o organismo. Além disso, possui inúmeras vantagens com relação a outros métodos. 

Trata-se de uma técnica natural, quase indolor, sem efeitos colaterais e não necessita de tempo para recuperação. Além disso, os efeitos são percebidos rapidamente e o custo do tratamento é mais baixo.  

Através da acupuntura facial podemos promover duas ações no organismo o: a primeira ação é localizada, onde a acupuntura facial desencadeia reações fisiológicas. O corpo entende a inserção da agulha como uma agressão, assim promove no local um aumento na circulação sanguínea, nutrição e oxigenação celular, aumento da energia vital Qi que tonifica a musculatura revitalizando a pele, suavizando as rugas. Essa “agressão” estimula a produção de colágeno através da proliferação de células fibroblásticas. O estímulo da agulha inserida na pele faz com que haja uma nova produção de colágeno e elastina no tecido, fechando os sulcos que ali existiam; a segunda ação consiste em estimular o equilíbrio interno dos órgãos, pois temos a representação dos Zang Fu (órgãos e vísceras) na face. Assim, alterações de manchas, cor, traços, marcas de expressão e rugas são indicativos de como o interior do organismo se encontra. 

Dessa forma, é necessário que o interior esteja equilibrado para que o reflexo o exterior seja belo. Temos que ver o indivíduo como um todo, não existe beleza sem saúde ou saúde sem beleza, as duas caminham juntas sempre (LIMA, 2007).

Conclusão:

 A Medicina Oriental pode beneficiar o tratamento da ruga, atuando na sua causa e no emocional do paciente, aumentando a sua autoestima e ajudando a combater os fatores causadores desta afecção e sem provocar efeitos iatrogênicos. A união de técnicas ocidentais com os orientais faz surgir novos conceitos de tratamento, menos agressivos, gerando equilíbrio orgânico e energético, com resultados duradouros.  Conclui-se, portanto, que a Acupuntura é atualmente uma das melhores alternativas para quem busca algo novo e saudável para melhorar a estética da face, obtendo resultados que se fazem visíveis, tanto no físico quanto no psicológico.  A acupuntura não é novidade na estética, porém, esse procedimento somente agora vem se firmando dentre os outros tratamentos para combater as rugas faciais. Essa técnica é significativa, pois não atua somente na retirada das rugas, pois sua ação se estende beneficamente em todo o organismo. Além disso, possui várias vantagens com relação a outros métodos. Trata-se de uma técnica natural, quase indolor, sem efeitos colaterais, não necessita de tempo para recuperação, os efeitos são percebidos rapidamente e o custo do tratamento é mais baixo quando comparados aos outros. 

Portanto, as pesquisas nesta área são de grande interesse para humanidade, pois poderá colaborar com avanços tanto da medicina ocidental quanto da medicina oriental.  Mesmo com a carência de explicações científicas para os resultados obtidos, a acupuntura está sendo cada vez mais difundida por todo o mundo.

Autora do artigo: Profa. Ma. Luciana Mendes Vinagre

Deixe seu Recado