Imprensa

Terça-feira, 18 de Julho de 2017 - 09:01

A Técnica do Shu Antigo para o Tratamento de Zumbido

Autora do TCC Serena C. Correa

 Artigo elaborado por Carla Ceppo

 O zumbido pode ser considerado uma ilusão auditiva, ou seja, uma sensação sonora não relacionada à fonte externa de estimulação. Pode ser o único ou o principal sintoma envolvido em várias doenças que comprometem a saúde e o bem-estar de muitos indivíduos (SAHLEY, NODAR, 2001).  De acordo com seu agente etiológico o zumbido pode ser classificado como paraauditivo ou originário do sistema auditivo neurosensorial (GOLDBERG, JEFF, 1997).

 Na Medicina Ocidental os tratamentos mais usuais consistem no uso do aparelho auditivo e no uso de medicamentos alopáticos.  Porém, a maioria desses medicamentos têm muitos efeitos colaterais, como forte sonolência e tontura, o que acaba por desestimular os pacientes na continuidade deste tratamento, que geralmente se estende por um ou dois meses.  Outro tratamento amplamente divulgado atualmente tem sido a Terapia de Habituação (Tinnitus Retraining Therapy – T.R.T.) que envolve dois princípios básicos: a orientação e a terapia sonora.  A primeira fase, a da orientação, consiste em conscientizar o paciente da importância de sua participação na segunda fase da terapia, são utilizadas aqui técnicas como meditação entre outros exercícios mentais. A terapia sonora ou fase de habituação consiste em proporcionar ao paciente enriquecimento sonoro de forma em que este se habitue e deixe de perceber a existência do zumbido (SANCHEZ et al., 1997). 

Enquanto na Medicina Ocidental o zumbido pode ser difícil de ser tratado e raramente apresente melhora, a Medicina Tradicional Chinesa oferece muitos tratamentos, mais eficazes, a base de plantas medicinais ou acupuntura, superando o uso de drogas e outras modalidades terapêuticas. A acupuntura pode ser um ótimo tratamento para este mal, pois irá tratar a raiz do problema (WEN, 1985).

Segundo a Teoria dos Cinco Elementos, que formam o mundo com base na filosofia da Medicina Tradicional Chinesa. Em cada elemento temos órgãos, vísceras e outras categorias. Há conexões estabelecidas entre os órgãos e vísceras e entre os órgãos sensoriais do corpo de forma que qualquer distúrbio em algum destes órgãos poderá refletir nos órgãos do sentido ou vice-versa (MACIOCIA, 1996).   O ouvido faz parte da categoria “órgãos do sentido” dentro do elemento Água e o órgão relacionado com este elemento é o Rim. Desta forma, em geral, o zumbido vem associado à Síndromes Energéticas ligadas a este órgão.  Assim sendo, é o Rim que rege os ouvidos por ser o órgão, dentro do mesmo elemento, que se liga aos ouvidos. Na Medicina Tradicional Chinesa afirma-se que o Rim se abre nos ouvidos. A falta de energia, aqui chamada de Qi, e o desequilíbrio deste órgão resulta em sintomas clínicos e um deles é o zumbido. Desta forma, podemos afirmar que o zumbido é resultado da deficiência de Qi (energia) do Rim e do desequilíbrio deste Órgão.

A acupuntura, e mais especificamente, a técnica do Shu Antigo, age em todo Sistema Nervoso, estimulando mecanismos de compensação e equilíbrio em todo corpo e, por consequência, a doença poderá ser sanada, ao contrário da medicina ocidental que visa apensas tratar o local ou sintoma da doença, por isso este tratamento é aqui sugerido. O Shu Antigo atua normalizando as funções orgânicas do ser humano. 

O objetivo deste estudo é provar o quanto a técnica Shu Antigo da acupuntura pode ser benéfica no tratamento do zumbido, avaliar o quanto a técnica do Shu Antigo pode ser benéfica no tratamento do zumbido e valorizar a Medicina Chinesa para o tratamento do zumbido em comparação à medicina ocidental (tratamentos através de fármacos).

ESTUDO DE CASO

O estudo de caso foi realizado com uma mulher de 53 anos. Para detalhar o estudo foi aplicado um questionário.  Essa paciente sofre do zumbido há mais de dez anos. Já fez tratamento com medicamentos alopáticos, porém relatou que nunca se adaptou a nenhum desses medicamentos e por isso acabou desistindo de qualquer tratamento.

Foi realizada a inspeção na paciente, observando o aspecto geral do corpo, a língua e o pulso como auxiliares na finalização do diagnóstico energético.

Através das conclusões de diagnóstico energético, foi identificado o Órgão/Víscera da paciente que está em maior desarmonia. Essa identificação foi feita através de todo exame realizado no diagnóstico, desde o questionário, através do relato de história de outras doenças e do início do zumbido relatados pela paciente e também pelos exames de inspeção, palpação e exame áudio-olfativo.

A identificação do Órgão/Víscera afetado é fundamental para esta técnica, pois, a partir daí iremos procurar na mandala dos cinco elementos qual o órgão/víscera que deverá ser tonificado ou sedado para a escolha dos pontos.

A paciente aqui tratada relata diversas doenças antecedentes e, inclusive, uma nefrite, que é a inflamação nos rins, quando criança. Também através do questionário aplicado, conclui-se que a doença aqui tratada, o zumbido, pode ter ligação com o momento emocional que a paciente passava quando este mal começou a se manifestar, ela passava por um período de medo, pois seu pai estava internado.

Por tudo o que foi aqui apresentado, podemos concluir que o órgão mais afetado para o desenvolvimento do mal do zumbido nesta paciente é o Rim e que ele está em deficiência, ou seja, não tem seu funcionamento em equilíbrio. Desta forma, devemos escolher o elemento Água para aplicar a técnica.

E através dos exames de palpação e áudio-olfativo, observamos que a paciente apresenta face pálida, língua pálida e pulso fraco, o que caracteriza uma síndrome por deficiência. Por essas características da paciente, concluímos que esta paciente tem uma síndrome de deficiência.

Assim, além de concluir que o órgão mais afetado é o Rim, podemos também afirmar que ele está em deficiência e que para tratarmos a paciente deveremos tonificar este órgão. 

Como no caso de estudo aqui apresentado, precisamos fortalecer um elemento que está enfraquecido, que é o elemento Água. Conforme o Ciclo Shen, ou ciclo de Geração, devemos tonificar a mãe, já que o filho está enfraquecido (YAMAMURA,2001). O elemento mãe do elemento Água é o Metal e o órgão relacionado a este elemento é o pulmão. 

Para tonificar o Rim, utilizando os princípios da técnica Shu Antigo, devemos tonificar o ponto elemento mãe no próprio meridiano o:  R7. E também o elemento do meridiano da própria mãe que é o P8 e tonificar este ponto também. Esta técnica é aplicada usando os pontos bilateralmente, ou seja, do lado esquerdo e direito da paciente, aplicando ao todo quatro agulhas. Foram realizadas sessões duas vezes por semana, totalizando 20 sessões.

RESULTADO 

Sempre no final da sessão era questionado à paciente qual o nível de incomodo do zumbido naquele momento tendo como referência uma escala de 1 a 10. Na primeira sessão, a paciente relatou sentir o zumbido estar muito forte, e que nesta escala daria 10. Nas semanas posteriores, a paciente relatou o mesmo número de incomodo dentro da escala com nível 8.  Somente na última sessão, é que a paciente relatou que seu zumbido estava no nível 6.

Com base nos resultados coletados, pode-se, então, concluir que a técnica do Shu Antigo da Acupuntura pode ser bastante eficaz no tratamento do zumbido, porém seu tratamento deve ser feito a longo prazo, pois o resultado mais importante só foi obtido após várias sessões, apesar de já se ter um resultado inicial significativo.

Deixe seu Recado