Pós-Graduação em Acupuntura - O mais completo

Artigos

Tamanho da FonteDiminuir FonteAumentar Fonte
 
Terça-feira, 01 de março de 2011

Acupuntura no tratamento da doença de Parkinson - Sugestão de pontos

CASTRO, A. A.
Artigo elaborado baseado em partes do Trabalho de Conclusão de Curso, Autora do artigo: Larissa A. Bachir - CETN

Estudos realizados por Huang e cols (2010) na China, comprovaram que pacientes com doença de Parkinson que fizeram uso de levedopa associada à acupuntura apresentaram aumento de circulação sanguínea a nível cerebral. Foi observado também aumento da circulação no lobo frontal, lobo occipital, gânglio basal e cerebelo. Apesar de não ter sido detectado mudança quanto ao nível de dopamina.

Outro estudo realizado por Joh e cols (2010) em Nova York, detectou que a acupuntura diminui o processo de morte das células e atenua a oxidação dos neurônios dopaminérgicos.

Maciocia (2009), sugere pontos que podem ser utilizados no tratamento dos pacientes que apresentam Doença de Parkinson. Os pontos devem ser selecionados de acordo com o diagnóstico e sua ação energética.

Alguns desses pontos estão listados abaixo:

  • IG 4: ponto Fonte, dispersa Vento, alivia espasmos musculares.
  • IG 11: drena Fogo, fortalece articulações e tendões.
  • E 36: elimina Vento, circula Qi e Xue.
  • E 40: resolve Fleuma.
  • BP 6: ponto de encontro dos Yin da perna (Baço-Pâncreas, Fígado e Rim), nutre Yin de Baço-Pâncreas, Fígado e Rim, elimina Umidade.
  • B 17: ponto Mestre de Xue, elimina estagnação de Qi e Xue, nutre Xue.
  •  R 3: ponto Fonte, nutre Yin do Rim, equilibra Yin e Yang do organismo.
  • TA 5: domina Yang do Fígado.
  •  VB 20: dispersa Vento interior.
  • F 3: ponto Fonte de Fígado, acalma Vento de Fígado em casos crônicos, tonifica Qi, promove o fluxo do Qi.
  • F 8: nutre o Yin do Fígado a fim de dominar Vento do Fígado.
  • VC 4: nutre Xue.
  • VG 19: extingue Vento do Fígado.

1.1. Acupuntura na Disfagia

Nos casos em que o objetivo é tratar não somente a Doença de Parkinson, mas de maneira mais específica a disfagia, é possível associar os pontos acima que tratam o distúrbio energético a pontos localizados próximos as estruturas que participam da deglutição com o objetivo de facilitar esse processo.

Dentre os quais, podem ser utilizados os sugeridos por Focks (2008):

  • IG 17 e IG 18: indicado para disfagia.
  • E 5: indicado para paralisia da língua, trismo e paresia facial.
  • E 7: indicado nos distúrbios da articulação temporomandibular.
  • E 12: indicado para disfagia.
  • ID 1: indicado nos distúrbios de mobilidade de língua.
  • ID 17: indicado nos casos de sensação de bolo na garganta.
  • ID 19: indicado nos distúrbios da articulação temporomandibular.
  • B 66: indicado para disfagia.
  • TA 17: indicado para trismo, distúrbios da articulação temporomandibular e paresia facial.
  • TA 21: indicado nos casos de distúrbios da articulação temporomandibular.
  • TA 23: indicado para paresia facial.
  • VB 1: indicado para paresia facial.
  • VB 2: indicado nos casos de distúrbio da articulação temporomandibular.
  • VB 3: indicado para paresia facial.
  • VB 7: indicado para trismo.
  • VB 12, VB 13 e VB 14: indicado para paresia facial.
  • VC 16, VC 18, VC 19, VC20, VC 21, VC 22 e VC 23: indicado para disfagia.
  • VG 15: indicado para casos de rigidez e paresia da língua.
  • VG 27: indicado para trismo.